Centenas de afegãos bloqueiam pista para que avião volte para buscar deputado

Cabul, 23 mai (EFE).- Cerca de 500 simpatizantes do deputado afegão Abdul Rahman Shaidani bloquearam nesta terça-feira a pista de aterrissagem do aeroporto de Bamiyan, no centro do Afeganistão, para obrigar um avião a retornar a Cabul para buscar o legislador, que tinha perdido seu voo.

Shaidani, do Movimento Iluminação, nascido em 2016 de um protesto para levar eletricidade às áreas dominadas pela minoria xiita hazara, chegou cerca de duas horas atrasado ao aeroporto da capital afegã e não conseguiu pegar o avião da companhia Kam Air, segundo explicou à Agência Efe o porta-voz da companhia aérea, Najib Payman.

Segundo a versão da Kam Air, o deputado entrou em contato então com seus simpatizantes em Bamiyan, província que representa na Câmara dos Deputados, e lhes ordenou que impedissem "a qualquer custo" a aterrissagem da aeronave.

Cerca de 500 apoiadores de Shaidani invadiram o aeroporto da região central, a 30 minutos por ar de Cabul, e bloquearam a pista de aterrissagem forçando o regresso da aeronave, um avião leve com 25 pessoas a bordo.

A aeronave, que tinha partido da capital afegã por volta de 6h30 (horário local, 23h de segunda-feira em Brasília), deu meia volta para seu local de partida e recolheu o parlamentar e alguns de seus amigos, detalhou o porta-voz da Kam Air.

"O ponto positivo foi que tínhamos combustível extra para voltar a Cabul. De outro modo, este ato do parlamentar poderia ter posto em perigo a vida dos passageiros e isto era um grande risco", advertiu.

Além dos inconvenientes causados aos passageiros, Payman estima que o incidente causou à companhia aérea perdas equivalentes a US$ 10.000.

O porta-voz, que qualificou o ocorrido como "delito", detalhou que a direção da companhia aérea pretende realizar uma reunião para avaliar possíveis medidas a respeito.

Shaidani confirmou à Efe que perdeu seu voo desta manhã e que posteriormente ligou para seus simpatizantes para informar-lhes do ocorrido, já que estes estavam esperando no aeroporto de Bamiyan para recebê-lo.

No entanto, assegurou não estar a par do bloqueio protagonizado por seus apoiadores e afirmou que foi a companhia aérea que pediu para que retornasse ao aeroporto de Cabul alegando que seu avião estava lhe "esperando".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos