OTAN se somará à coalizão internacional contra EI liderada pelos EUA

Bruxelas, 24 mai (EFE).- A OTAN decidiu unir-se à coalizão internacional contra o grupo terrorista Estado Islâmico (EI) no Iraque e na Síria, uma decisão que será formalizada durante a cúpula de chefes de Estado e de governo que acontecerá amanhã em Bruxelas, informaram à Agência Efe fontes da Aliança.

A decisão foi adotada hoje pelos embaixadores dos países-membros e tem ainda que ser formalmente respaldada amanhã pelos líderes, destacaram as fontes.

A ampliação do papel da OTAN na luta antiterrorista é um dos dois grandes assuntos que serão tratados nesta cúpula e uma das petições manifestadas pelo governo dos Estados Unidos, que lidera a coalizão, junto ao compromisso dos países de investir 2% de seu PIB em Defesa até 2024.

Os líderes da OTAN darão as boas-vindas amanhã ao presidente dos EUA, Donald Trump, em uma breve cúpula na qual abordarão estes dois assuntos.

Trump quer que a OTAN como organização se una à coalizão internacional contra o grupo jihadista e assim se expressará aos líderes, segundo adiantou hoje seu secretário de Estado, Rex Tillerson, em declarações aos jornalistas que estavam a bordo do "Air Force One" no voo de Roma a Bruxelas.

Tillerson disse que "seria um passo muito importante" que a OTAN como bloco se unisse formalmente à coalizão contra o EI liderada pelos EUA.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos