Rajoy rejeita negociar com nacionalistas catalães consulta de independência

Madri, 25 mai (EFE).- O chefe do Governo espanhol, Mariano Rajoy, enviou nesta quinta-feira uma carta ao presidente da Catalunha, Carles Puigdemont, na qual demonstra sua rejeição a negociar a convocação de um referendo independentista porque isso romperia com "a ordem constitucional" e seria uma "grave ameaça à convivência".

Rajoy respondeu desse modo ao documento enviado ontem por Puigdemont no qual considerava "imprescindível" que os dois governos dialogassem sobre a intenção dos nacionalistas de convocar uma consulta legal sobre a eventual independência da Catalunha.

Puigdemont planeja convocar essa consulta em setembro e defende a secessão da Espanha e todas as iniciativas que são realizadas nas instituições catalães com esse objetivo estão sendo recorridas perante os tribunais, que uma vez após outra as qualificam de ilegais.

Há alguns dias, o Executivo da Catalunha (uma região rica, com 7,5 milhões de habitantes) anunciou que Puigdemont escreveria a Rajoy para uma última tentativa de diálogo.

Na sua resposta de hoje, Mariano Rajoy sublinha que não está disposto a participar de "uma negociação que não segue a lei ".

Na semana passada, o Executivo espanhol convidou o líder catalão a apresentar suas reivindicações no Congresso dos Deputados, opção que Puigdemont rejeitou, já que o seu desejo é negociar um acordo previamente com Rajoy e depois levá-lo às sedes parlamentares para seu ratificação.

Ontem mesmo Carles Puigdemont disse que dará por encerrada a via do pacto se Mariano Rajoy se negar a negociar e, nesse caso, advertiu que não poderá exigir que a consulta organizada pelo Governo catalão cumpra com as "regras de jogo".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos