Ex-assessor de Trump entregará documentos de suas empresas ao Senado dos EUA

Nova York, 30 mai (EFE).- O ex-assessor de Segurança Nacional dos Estados Unidos Michael Flynn se comprometeu a entregar a um comitê do Senado diversos documentos de empresas controladas por ele dentro das investigações sobre sua relação com a Rússia, informou nesta terça-feira o "The Wall Street Journal".

Flynn tinha sido nomeado para o cargo pelo presidente do país, Donald Trump, renunciou no dia 13 de janeiro, em meio a um escândalo por esconder seus contatos com representantes do Kremlin.

Inicialmente, o general reformado tinha se negado a cooperar com o Comitê de Inteligência do Senado, que investiga os vínculos da campanha eleitoral de Trump com a Rússia. Flynn se amparava no direito constitucional de não testemunhar se suas palavras forem usadas para prejudicá-lo.

Mas, segundo o "Journal", uma fonte não identificada afirmou que Flynn começará a entregar documentos pessoais e de duas companhias controladas por ele ao Senado na próxima semana.

O jornal explicou que o Comitê de Inteligência do Senado tinha requerido os documentos porque eles não estavam protegidos pela quinta emenda da Constituição dos EUA, que tinha sido utilizada previamente pelo ex-assessor para não colaborar.

A disposição de Flynn de entregar essa documentação foi comunicada hoje ao Senado em carta enviada pela defesa do ex-assessor, segundo o "Journal".

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos