Novo terremoto sacode região central do México e faz alarmes dispararem

Cidade do México, 23 set (EFE).- Um terremoto de magnitude 6,4 graus na escala Richter sacudiu neste sábado a região central e o sul do México, gerando alerta apenas quatro dias depois de outro poderoso tremor de 7,1 graus ter deixado cerca de 300 mortos.

O sismo foi registrado por volta de 7h53 no horário local (9h53 em Brasília), segundo o Serviço Sismológico Nacional (SSN), com epicentro 12 quilômetros da cidade de Ixtepec, no estado de Oaxaca, a mesma região onde no último dia 7 de setembro um terremoto de 8,2 graus, o mais forte no país desde 1932, ter deixado 98 mortos.

Os alarmes soaram quase um minuto antes de o tremor chegar à Cidade do México, o que permitiu que muitos dos moradores da capital deixassem suas casas, repetindo as imagens registradas há apenas quatro dias, quando o terremoto de 7,1 graus destruiu 38 imóveis.

Desta vez, o sismo, com epicentro de profundidade de 75 quilômetros, surpreendeu os mexicanos que ainda estavam dormindo.

"Na Cidade do México, a percepção foi leve e, por enquanto, não foram danos. Continuamos o monitoramento", indicou no Twitter o coordenador nacional de Proteção Civil, Luis Felipe Puente, que disse estar em contato com os estados de Chiapas e Oaxaca.

Em entrevista à emissora "Milenio", Puente ter registros de que o tremor foi sentido com força no Istmo de Tehuantepec. Por protocolo, os trabalhos de resgate por causa do terremoto anterior foram interrompidos enquanto as estruturas onde as equipes estão atuando serão revisadas para analisar se não houve novos danos.

"(Os trabalhos) serão reiniciados após a revisão. Pela forma que sentimos (o tremor) na cidade do México, não parece ter havido movimentos ou colapso", afirmou Puente na entrevista.

Já a presidência do México, em comunicado, pediu que a população mantenha a calma.

O diretor do Centro Nacional de Prevenção de Desastres (Cenapred), Carlos Valdés, afirmou em entrevista à "Milenio" que o tremor foi uma réplica do terremoto registrado em 7 de setembro.

"Pela magnitude de tal terremoto, ele pode gerar réplicas como a que vimos hoje", indicou.

O chefe de governo da Cidade do México, Miguel Ángel Mancera, disse à "Televisa" que, de acordo com um relatório preliminar, não houve consequências maiores além do susto gerado pelo sismo.

"Os alarmes foram ativados a tempo, gerando a oportunidade para que a população atendesse o alerta", indicou Mancera.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos