Polícia da Rússia prende mais de 50 opositores em protesto em Moscou

Moscou, 23 set (EFE).- Mais de 50 ativistas da oposição foram presos neste sábado durante um protesto em Moscou não autorizado pelas autoridades locais.

Entre os detidos estão o líder esquerdista Sergei Udaltsov, libertado recentemente após cumprir uma pena de quase cinco anos de prisão por participar de manifestações contra o governo, e o historiador Eduard Limonov, fundador do movimento Outra Rússia.

Udaltsov explicou que sua prisão ocorreu quando ele e vários outros ativistas participavam de um ato anticapitalismo em Moscou.

"Me disseram que tínhamos organizado um ato ilegal e que estávamos obstruindo a passagem dos pedestres. Quando me prenderam não havia nem bandeiras nem cartazes. Simplesmente estávamos de um lado da rua esperando o sinal fechar para atravessar. Considero nossa detenção como ilegal", disse o líder opositor.

Udaltsov, que recentemente pediu união aos partidos de esquerda para apresentar um candidato único nas eleições presidenciais, reconheceu, no entanto, que a prefeitura de Moscou tinha negado seu pedido para realizar uma manifestação.

Os presos foram levados pelos agentes a várias delegacias, onde serão abertos inquéritos administrativos por manifestação ilegal.

Udaltsov e Limonov são dois dos opositores mais críticos do Kremlin, mas não apoiam Alexei Nalvany, considerado o único capaz de fazer sombra ao presidente Vladimir Putin nas próximas eleições.

Os dois últimos protestos convocados por Nalvany para denunciar a corrupção na administração pública também acabaram com a prisão de centenas de manifestantes, incluindo o próprio líder opositor.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos