Delegação do Governo sírio adia participação em diálogo Genebra

Beirute, 27 nov (EFE).- A delegação do Governo sírio que deve participar da oitava rodada de negociações de paz em Genebra, que começaria na terça-feira, adiou sua viagem em protesto pelas recentes decisões adotadas pela oposição, informou nesta segunda-feira o jornal governamental sírio "Al Watan".

O jornal, que cita fontes diplomáticas na cidade suíça, revelou em seu site que a "delegação da República Árabe da Síria, que devia chegar hoje (à Suíça), atrasou seu horário de chegada para uma data posterior não determinada".

As fontes explicaram que, com esta medida, Damasco quer expressar seu descontentamento após ler "minuciosamente" o comunicado da conferência de Riad 2, onde na semana passada aconteceu reunião da Comissão Suprema para as Negociações (CSN), a principal aliança da oposição, para escolher a delegação que mandará a Genebra.

As mesmas fontes destacaram que o Governo sírio "vê o comunicado de Riad 2 como um regresso ao primeiro pacote das negociações e, especialmente, como um passo para a imposição de pré-condições".

Nesse sentido, Damasco criticou que os opositores exijam a saída do presidente sírio, Bashar al Assad, ao começo da etapa transitória que deveria dar passagem à democracia.

Durante as reuniões mantidas na capital saudita, o CSN advogou por entabular negociações na cidade suíça sem requisitos prévios, embora tenha pedido que Assad deixe o poder ao início da fase transitória.

Por outro lado, as autoridades sírias lamentaram a "interpretação ambígua" que o CSN fez da resolução 2254 do Conselho de Segurança da ONU.

Tal resolução estabelece um cessar-fogo, a proteção dos civis e um processo político que ofereça uma saída à disputa, que culmine com a formação de um órgão de Governo transitório com todos os poderes, a realização de eleições e a reforma da Constituição, entre outras medidas.

Para o Governo sírio, a oposição se "excedeu" na sua interpretação da resolução 2254 e considerou que as palavras dos opositores não são "apropriadas" para realizar um processo político que suponha uma solução para o conflito.

Esta postura, acrescentou o jornal "Al Watan", foi transmitida pelas autoridades sírias ao responsável da ONU, Ramzi Ezedin Ramzi, assistente do mediador internacional para a Síria, Staffan de Mistura, que esteve no sábado no país árabe.

O jornal ressaltou que o Executivo sírio perguntou a Ramzi sobre o fato de que não haja uma maior representação dos diferentes grupos opositores na delegação de Genebra, como, lembrou, está estipulado na resolução 2254.

A este respeito, Damasco expressou estranheza ao fato de os participantes do encontro de Riad não terem deixado a oposição interna da Síria participar da delegação.

Precisamente, o CSN anunciou na sexta-feira o envio de uma delegação unificada da oposição à Suíça para acabar com "os pretextos do regime para não negociar", já que na equipe que mandará a Genebra estão incluídos membros das chamadas plataformas opositoras do Cairo e Moscou.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos