Rússia alerta Japão sobre instalação de sistema antimísseis

Moscou, 30 dez (EFE).- A Rússia enviou um alerta ao Japão neste sábado quanto à instalação de um sistema antimísseis no país, uma medida que, segundo o Kremlin, representaria uma ameaça para a segurança nacional russa e violaria o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (INF).

"O fato de sistemas análogos (aos dos EUA) possam aparecer perto das fronteiras do leste da Rússia representa uma nova situação que não podemos deixar de levar em consideração em nossos planos militares", afirmou o vice-ministro de Relações Exteriores, Sergei Riabkov, em comunicado.

O diplomata pediu que o governo do Japão avalie se "convém ser coparticipante de uma violação do INF", um tratado firmado entre Estados Unidos e Rússia na época da Guerra Fria.

Riabkov destacou que o sistema Aegis, que o Japão pensa em instalar para interceptar projéteis, é técnica e funcionalmente igual ao usado pelos americanos.

"Esses sistemas podem lançar tanto mísseis interceptadores como de cruzeiro de médio e curto alcance", afirmou o vice-ministro, citando o potencial ofensivo do mecanismo de defesa.

"Os EUA o estão instalando em suas bases militares na Romênia e na Polônia, ou seja, perto da nossa fronteira oeste, em contraposição ao tratado INF de 1987, que proíbe esses sistemas terrestres", completou o diplomata russo.

Sobre a afirmação do governo do Japão de que o sistema Aegis não viola ou representa uma ameaça pelo tratado assinado entre a então União Soviética e os EUA, Riabkov lembrou que o país vizinho participa há muito tempo do projeto do escudo antimísseis.

"Em 2006 foi assinado um acordo intergovernamental sobre a cooperação em matéria de defesa antimísseis. Em virtude desse acordo, foram desenvolvidos conjuntamente sistemas antimísseis de nova geração", explicou o vice-ministro.

O Ministério de Relações Exteriores da Rússia já tinha alertado nesta semana que a instalação do Aegis prejudicaria as relações entre os dois países, em particular as negociações de um tratado de paz pendente desde a Segunda Guerra Mundial.

O Japão alega que o Aegis, que protegerá todo o arquipélago e entrará em funcionamento em 2023, é um sistema "exclusivamente defensivo". O governo japonês também lembra que avisou o ministro de Relações Exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, sobre as intenções de instalar o equipamento em novembro deste ano.

Em dezembro, o Japão decidiu adquirir o sistema de fabricação americana devido à ameaça da Coreia do Norte. Vários dos mísseis lançados em testes feitos pelo regime de Kim Jong-un cruzaram o território japonês e caíram no mar.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos