Perícia culpa motorista de caminhão por queda de ônibus no Peru; número de mortos vai para 52

  • Guadalupe Pardo/Reuters

A perícia peruana determinou nesta quinta-feira (4) que o motorista de um caminhão foi responsável pela queda de um ônibus, matando 52 pessoas há dois dias no Peru, segundo um comunicado do Ministério do Interior do país.

Na nota, o chefe da Divisão de Prevenção e Investigação de Acidentes de Trânsito da Polícia Nacional, coronel Franklin Barreto, informou que, segundo as investigações, o acidente "aconteceu por invasão da pista contrária pelo motorista do caminhão", que bateu no ônibus, derrubando-o de um penhasco.

O comunicado ressaltou que as investigações "se baseiam em evidências, análise realizada no GPS do veículo e inspeção técnica na estrada". Ainda segundo a perícia, fatores secundários, como o excesso de velocidade do próprio ônibus, falta de sinalização e de elementos de segurança viária na estrada sinuosa, de 22 km, contribuíram para o acidente. A chamada estrada de Pasamayo percorre um trecho de penhascos margeando o oceano Pacífico.

O motorista do caminhão foi detido preventivamente e colocado à disposição da Promotoria Provincial Penal da cidade de Huaral, segundo as autoridades.

Número de mortos

O número de mortos na queda do ônibus subiu para 52 nesta quinta, após equipes de resgate da Polícia Nacional do Peru (PNP) terem encontrado os corpos de duas outras vítimas.

O general Víctor Rucoba, chefe da polícia na região de Lima, informou ao "Canal N" que foram encontrados os corpos de uma jovem, identificada como Indira Díaz, e de uma mulher de idade avançada, cuja identidade ainda não foi determinada pelas autoridades.

"Estavam em um local de acesso muito difícil. É uma inclinação de quase 90 graus. Eram dois corpos, mas um deles quase tinha sido coberto pela areia", explicou o general.

Imagens das emissoras locais mostraram que um helicóptero da PNP percorreu hoje a região do penhasco onde o ônibus caiu e encontrou os corpos das duas vítimas entre os destroços do veículo. Agentes do Esquadrão de Emergência da PNP utilizaram cordas para descer até o penhasco para recuperar os corpos.

Além das 52 vítimas, seis pessoas sobreviveram ao acidente - uma delas pulou pela janela do ônibus antes que ele caísse e teve apenas ferimentos leves.

O acidente ocorreu na estrada Pan-Americana Norte, a cerca de 45 quilômetros de Lima, em uma região conhecida como "curva do diabo", no Serpentín Pasamayo, que corta um penhasco sobre o oceano. Vários acidentes de trânsito já foram registrados no trecho, que é sinuoso, com curvas fechadas e cobertas de neblina devido à proximidade do mar.

O presidente do Peru, Pedro Pablo Kuczynski, ordenou que o Ministério de Transportes faça um acordo com a concessionária responsável pela estrada para fazer mudanças no trecho. Além disso, o Ministério de Transportes proibiu o acesso e a circulação de ônibus de passageiros pelo Serpentín Pasamayo.

 

 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero Receber

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos