Netanyahu e Pence personificam a forte aliança entre EUA e Israel

  • Ariel Schalit/Reurtes

O vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, personificaram durante a tarde desta segunda-feira em Jerusalém a forte aliança "pela segurança e a prosperidade" entre os dois países.

"O povo americano valoriza nossa relação com Israel, e suas declarações de hoje, suas palavras amáveis para o presidente (Donald Trump) e para mim são muito significativas", disse Pence no discurso que pronunciou na residência do premiê, seu último ato da jornada.

Netanyahu agradeceu ao vice-presidente americano por "suas palavras comoventes" no Knesset, o parlamento israelense, onde anunciou a transferência da embaixada americana de Tel Aviv para Jerusalém até o final de 2019, e também por seu "compromisso incondicional com a liberdade e seu firme comprometimento com a aliança entre EUA e Israel", marcando uma diferença nas relações com a administração anterior de Barack Obama.

O presidente do Estado de Israel, Reuven Rivlin, que receberá Pence amanhã em sua residência, apoiou o seu anúncio de estipular uma data para a transferência da embaixada e reiterar o reconhecimento de Jerusalém como capital de Israel.

"Devemos passar da defensiva para a iniciativa e fazer uma chamada clara às nações do mundo para que deixem de boicotar Jerusalém como capital de Israel. Já se passaram 70 anos, este boicote não tem justificativa, e os nossos aliados devem se unir aos Estados Unidos", declarou Rivlin em um comunicado.

Netanyahu e Pence coincidiram em apontar o Irã como uma das ameaças da região e criticaram o acordo nuclear assinado em 2015, que ambos qualificaram como um "desastre".

"Reformá-lo totalmente ou eliminá-lo totalmente", propôs o chefe do governo israelense.

Por outro lado, a Associação de Imprensa Estrangeira em Israel (FPA, na sigla em inglês) denunciou que o controle de segurança de um dos atos desta visita realizou uma revista "degradante" a uma jornalista finlandesa por "ela ser, aparentemente, descendente de palestinos".

"O pessoal de segurança ordenou que a mulher retirasse seu sutiã, mas ela se negou, e foi excluída do evento", informou a FPA em comunicado.

Os palestinos convocaram para esta terça-feira, segundo e último dia da agenda de Pence em Israel, uma greve geral em protesto pela visita do vice-presidente, que concluirá em Jerusalém o seu giro pelo Oriente Médio.
 

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

Veja também

UOL Cursos Online

Todos os cursos