PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Ataques na região de Guta Oriental, na Síria, deixam 24 mortos

21/02/2018 10h14

(atualiza o número de vítimas)

Beirute, 21 fev (EFE).- Pelo menos 24 pessoas, entre elas duas crianças, morreram e centenas ficaram feridas nesta quarta-feira por causa de ataques aéreos com barris explosivos e de artilharia em diferentes áreas da região de Guta Oriental, o principal reduto opositor dos arredores de Damasco, segundo o Observatório Sírio de Direitos Humanos.

O lançamento a partir de helicópteros de barris de explosivos na cidade de Kafr Batna e os bombardeios de aviões de combate em Yisrin mataram as pessoas.

Os feridos aconteceram por bombardeios e por fogo de artilharia contra várias partes de Guta Oriental, como Kafr Batna, Arbin, Ain Tarma e Saqba, entre outras.

O Observatório acusou a aviação síria e russa, assim como a artilharia das forças governamentais, de ter realizado os ataques.

Desde o último domingo, pelo menos 251 pessoas morreram, entre elas 58 menores, por ataques aéreos e da artilharia em Guta Oriental.

O coordenador para a Síria do Escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA), Panvos Moumtzis, condenou os ataques contra seis hospitais em Guta Oriental.

Em comunicado divulgado ontem à noite, Moumtzis qualificou de "inaceitáveis" os bombardeios que ocorreram há dois dias contra cinco hospitais, entre eles uma maternidade, e contra um sexto centro médico, ontem, nesta região controlada pelos rebeldes. EFE

ssa/ma

Internacional