PUBLICIDADE
Topo

Mais de 100 imigrantes venezuelanos se instalam no nordeste brasileiro

04/07/2018 23h58

Recife (Brasil), 4 jul (EFE).- Um grupo de 114 venezuelanos começou a reconstruir suas vidas no nordeste, região onde se instalaram, nesta quarta-feira, uma parte das centenas de pessoas que chegaram do país vizinho fugindo da grave crise e que se concentram na fronteira no estado de Roraima.

As cidades de Igarassu, na região metropolitana de Recife, em Pernambuco, e Conde, na Paraíba, receberam na última segunda-feira, respectivamente, 69 e 45 imigrantes venezuelanos que estavam em Boa Vista, capital de Roraima, e foram transferidos em um avião da Força Aérea Brasileira.

A Secretaria de Desenvolvimento Social de Pernambuco reiterou hoje o compromisso do estado com o intenso fluxo migratório da Venezuela dos últimos meses e se comprometeu em dar assistência para garantir a saúde, educação e "internalização" dos cidadãos venezuelanos.

Os 39 adultos e 30 jovens e crianças venezuelanas que chegaram a Recife recebem assistência na ONG Aldeias Infantis SOS, entidade que faz parte do programa das Nações Unidas para Refugiados.

"Estamos em uma casa bonita. Na Venezuela, eu gostaria de ter uma casa como esta. Na Venezuela eu não tenho casa. Estamos contentes, temos alimentos. Somos gratos", afirmou à Agência Efe, Eduardo José, de 38 anos, e pai de três filhos.

Outros 45 adultos seguiram para Conde e os 30 restantes foram transferidos no mesmo avião militar até o Rio de Janeiro.

Entre abril e maio, São Paulo, a maior cidade do país, Cuiabá e Manaus acolheram um total de 527 pessoas, como parte da iniciativa do presidente Michel Temer, para ajudar Roraima no atendimento aos imigrantes.

Uma delegação do Parlamento Europeu realizou na semana passada uma visita de três dias a Roraima para avaliar a situação dos venezuelanos no local, enquanto o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence, durante sua visita oficial ao Brasil, fez o mesmo em um albergue de Manaus.

As autoridades brasileiras calculam que no último ano e meio entraram ao Brasil cerca de 50 mil venezuelanos que fogem da crise política, econômica e social que castiga o país vizinho e estimam, além disso, que aproximadamente 400 cruzam diariamente a fronteira.