PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Trump diz "gostar da opção de dois Estados" para Israel e Palestina

26/09/2018 13h32

Nações Unidas, 26 set (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, declarou nesta quarta-feira que "gosta da opção de dois Estados" para resolver o conflito entre Israel e Palestina, e afirmou que em até quatro meses apresentará um plano para a busca da paz na região.

"Gosto da solução de dois Estados. Acredito que isso é o que melhor funcionaria", comentou o governante americano em entrevista antes de se reunir com o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, na sede da ONU, em Nova York.

Trump não detalhou se essa proposta de dois Estados será incluída no plano de paz entre israelenses e palestinos que está sendo elaborado há meses por uma equipe da Casa Branca.

A equipe de negociação de Trump mantém há meses conversas com diversas partes do Oriente Médio com o objetivo de traçar um plano de paz entre israelenses e palestinos, embora os representantes da Palestina tenham rejeitado tentativas de reunião após os EUA terem reconhecido Jerusalém como capital de Israel no ano passado.

A Casa Branca continua determinada a apresentar esse plano com ou sem o apoio dos palestinos. Questionado sobre o assunto, Trump disse estar "100%" confiante que os palestinos voltarão à mesa de negociação.

Em fevereiro de 2017, Trump causou uma grande polêmica ao dizer que poderia aceitar uma solução "de um Estado" para o conflito entre israelenses e palestinos, mas em dezembro mudou de postura e declarou pela primeira vez o apoio a uma solução de dois Estados, uma ideia que reforçou hoje.

"Realmente acredito que algo acontecerá. É um sonho meu poder fazer algo antes que o meu primeiro mandato termine", afirmou o governante americano junto a Netanyahu.

Em conversa com imprensa, o primeiro-ministro israelense parabenizou Trump pelas "fortes palavras" no discurso pronunciado na terça-feira da Assembleia Geral da ONU, especialmente "contra o corrupto" regime do Irã.

Trump considerou que Israel está sendo agressivo no Oriente Médio porque precisa para se defender e disse que apoia totalmente o governo israelense.

"Sou muito a favor do que Israel está fazendo ao que se refere à sua defesa", comentou.

Internacional