PUBLICIDADE
Topo

Homem é detido por relação com ataque suicida na Tunísia

29/10/2018 14h01

Túnis, 29 out (EFE).- Unidades da polícia da Tunísia prenderam um homem por sua suposta vinculação com o atentado suicida que nesta segunda-feira feriu oito agentes e um civil em Túnis, a capital do país, informaram fontes de segurança.

Segundo as fontes, o homem estava perto da suposta suicida, uma mulher de aproximadamente 30 anos procedente da província de Mahdia, no sul do país, antes que ela detonasse os explosivos que levava junto ao corpo, aparentemente durante a passagem de uma patrulha das forças de segurança.

O homem, que não foi identificado, foi levado para uma delegacia para ser interrogado.

O ataque, cuja autoria ainda não foi reivindicada por algum grupo, ocorreu pouco depois do meio-dia (horário local) em frente ao teatro municipal, na avenida Habib Bourguiba, centro comercial e de lazer da cidade.

Este é o primeiro atentado na capital da Tunísia desde que um homem-bomba entrou em um micro-ônibus de transporte de soldados e matou 12 guardas presidenciais em 24 de novembro de 2015.

Cinco meses antes, um homem armado com um fuzil matou a tiros 38 pessoas, a maioria turistas britânicos que descansavam na praia de um conhecido hotel de luxo no balneário de Sousse, que fica 110 quilômetros ao sul da capital.

Em março daquele ano, a série de atentados jihadistas começou com o ataque ao Museu do Navio, uma referência turística da cidade, onde dois homens armados com rifles mataram 22 turistas.

A autoria de todos esses ataques foi reivindicada por grupos fanáticos locais vinculados à organização jihadista Estado Islâmico.

Desde então, a Tunísia está sob estado de emergência que é renovado a cada três meses e que concede às forças de segurança nacional poderes especiais dentro da luta contra o terrorismo.