Topo

Trump e líder chinês discutem guerra comercial em encontro na Argentina

Pablo Martinez Monsivais/AP
Os presidentes da China, Xi Jinping, e dos EUA, Donald Trump, durante encontro bilateral no G20 em Buenos Aires Imagem: Pablo Martinez Monsivais/AP

Em Buenos Aires

01/12/2018 22h15Atualizada em 01/12/2018 23h07

Os presidentes de Estados Unidos, Donald Trump, e China, Xi  Jinping, tiveram neste sábado (1) um jantar de trabalho em Buenos Aires que pode ser essencial para conter a guerra comercial na qual estão imersas as duas potências e que afeta a economia global.

Os dois líderes se reuniram durante duas horas e meia em Buenos Aires, ao final da participação de ambos na Cúpula do G20, e expressaram otimismo sobre suas negociações no começo do jantar.

"A nossa relação é muito especial e acredito que essa é uma razão pela qual acabaremos conseguindo algo que será bom para a China e bom para os EUA", disse Trump aos jornalistas no começo da reunião.

Xi, sentado de frente para Trump e ladeado por assessores em uma longa mesa retangular, destacou sua "amizade pessoal" com o presidente americano e lhe pediu para colaborar com ele a fim de garantir a saúde da economia global.

"Só com cooperação entre nós podemos impulsionar o interesse da paz mundial e da prosperidade", afirmou Xi nas suas breves declarações.

Trump destacou que a reunião foi "muito importante" e também sua "incrível relação" pessoal com Xi.

Após o jantar, Trump foi para o aeroporto de Buenos Aires para deixar a Argentina rumo a Washington, sem que a Casa Branca informasse imediatamente sobre o resultado do jantar.

A reunião aconteceu no Palácio Duhau de Buenos Aires, sede do hotel Park Hyatt onde Trump ficou hospedado durante a Cúpula do G20.

Trump foi acompanhado pelos secretários de Estado, Mike Pompeo; e do Tesouro, Steven Mnuchin; do representante de Comércio Exterior, Robert Lighthizer; de seu genro, Jared Kushner; e do assessor de Segurança Nacional, John Bolton. Também participou do jantar o principal assessor econômico da Casa Branca, Larry Kudlow.

Xi foi assessorado por seus principais conselheiros, entre eles o chefe de gabinete do governo, Ding Xuexiang; o vice-primeiro-ministro de Finanças, Liu He; e o ministro de Relações Exteriores, Wang Yi.