PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Bolsonaro e Netanyahu anunciam aliança estratégica entre Brasil e Israel

28/12/2018 16h23

Rio de Janeiro, 28 dez (EFE).- O presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, e o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, anunciaram nesta sexta-feira o início de uma associação estratégica entre os dois países para a cooperação em áreas como tecnologia, defesa, agricultura e segurança.

"Mais que uma associação, queremos ser irmãos no futuro, em áreas como economia e tecnologia, e em tudo o que possa trazer benefícios para os dois países", afirmou Bolsonaro em breve pronunciamento após o encontro com Netanyahu, realizado no Rio de Janeiro.

A reunião marcou o início da visita de cinco dias de Netanyahu ao Brasil. No Rio, o primeiro-ministro de Israel, que estará na posse de Bolsonaro na próxima terça-feira, disse que a associação tem grandes chances de dar resultado porque, enquanto Israel é a "terra prometida", o Brasil é a "terra da promessa".

"Israel quer ser sócio do Brasil no projeto que seu novo presidente quer iniciar e entendemos que podemos cooperar em áreas como defesa, economia, emprego, segurança, água, agropecuária, indústria e em todas as áreas do domínio humano", disse Netanyahu, primeiro chefe de Estado de Israel a visitar o país.

Netanyahu manteve a viagem ao Brasil apesar da crise política que enfrenta em Israel e que o obrigou a antecipar as eleições de novembro do próximo ano para abril. Bolsonaro é visto como um importante aliado para o premiê, já que o presidente eleito já chegou a prometer mudar a embaixada brasileira no país de Tel Aviv para Jerusalém, seguindo o caminho dos Estados Unidos.

Em mensagens publicadas nas redes sociais, Bolsonaro também mostrou interesse na tecnologia israelense de dessalinização da água, de produção de alimentos em áreas áridas e em equipamentos de segurança e vigilância.

Os dois afirmaram hoje que as conversas iniciadas no Rio de Janeiro terão sequência em uma visita que Bolsonaro fará a Israel no primeiro trimestre do próximo ano.

"Pretendo visitar Israel antes de março com uma grande comitiva para que possamos pôr em prática o mais rápido possível essa associação estratégica com o Estado de Israel", afirmou Bolsonaro.

Segundo o presidente eleito, o processo iniciado hoje pode em breve trazer benefícios para os dois países.

"O que for decidido será muito bom para os dois países e para grande parte do mundo porque mostraremos que essas associações podem fazer bem ao povo e porque queremos que outros países se associem a Israel e a nós", afirmou.

Para Bolsonaro, as dificuldades econômicas enfrentadas pelo Brasil poderão ser vencidas com a ajuda de "bons aliados, bons amigos e bons irmãos" como o primeiro-ministro de Israel.

Netanyahu classificou o encontro com Bolsonaro como "histórico" e disse estranhar o fato de Brasil e Israel não terem iniciado uma aproximação antes pelos grandes laços já existentes, entre eles a grande colônia judaica-israelense no país.

Antes de embarcar ao Brasil, Netanyahu disse que a aliança do Brasil tem um "enorme potencial" para Israel, tanto na esfera econômica como na de segurança. EFE

Internacional