PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Mike Pompeo fará discurso sobre Venezuela diante da OEA

24/01/2019 15h02

Washington, 24 jan (EFE).- O secretário de Estado dos EUA, Mike Pompeo, dará nesta quinta-feira um discurso diante da Organização de Estados Americanos (OEA) sobre a Venezuela, no qual deixará claro o apoio americano ao autoproclamado presidente venezuelano, Juan Guaidó, informaram à Agência Efe fontes diplomáticas.

Na agenda oficial do Departamento de Estado figura que Pompeo discursará às 11h15 local (13h15, em Brasília) diante do Conselho Permanente da OEA, com sede em Washington.

O Governo do presidente dos EUA, Donald Trump, foi o primeiro a reconhecer na quarta-feira o chefe do Parlamento Juan Guaidó como governante legítimo da Venezuela, linha que foi seguida por mais de uma dezena de países do continente americano, incluída Colômbia, Equador, Brasil e Argentina.

O Executivo americano avisou que "todas as opções estão sobre a mesa" se não houver uma transição pacífica, se ofereceu a prestar socorro humanitário e, além disso, voltou a pedir aos militares venezuelanos que "respaldem a democracia e protejam os cidadãos" desse país.

O presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, reagiu às medidas dos EUA com a ruptura das relações diplomáticas e a ordem de expulsar o pessoal da embaixada americana em Caracas, a quem Washington respondeu dizendo que manterá seus diplomatas na Venezuela porque não reconhece a legitimidade de Maduro.

Às 11h local (13h, em Brasília) começou a sessão do Conselho Permanente da OEA, que tem como objetivo "abordar os" recentes eventos na Venezuela", segundo a convocação.

Segundo disseram à Agência Efe fontes diplomáticas, os países que respaldaram a legitimidade de Guaidó como presidente devem desenvolver uma declaração, documento que serve para mostrar uma postura unificada sobre um tema, mas não tem caráter vinculativo, como é o caso de uma resolução.

A Venezuela vive uma situação de incerteza política desde que em 10 de janeiro Maduro voltou a tomar posse de seu cargo depois de eleições realizadas em maio e não reconhecidas pela maior parte da comunidade internacional devido à ausência da oposição.

A Assembleia Nacional da Venezuela (AN, Parlamento), de maioria opositora, invocou a Constituição assumir os poderes do Executivo.

Como parte dessa incorporação de poderes, a Assembleia Nacional decidiu nesta semana designar Gustavo Tarre Briceño como "representante especial" diante da OEA. EFE

Internacional