PUBLICIDADE
Topo

Deputado da Costa do Marfim é condenado a prisão por divulgar notícias falsas

30/01/2019 14h50

Abidjan, 30 jan (EFE).- O ex-ministro e deputado da Assembleia Nacional da Costa do Marfim, Alain Lobognon, foi condenado a um ano de prisão nesta quarta-feira por divulgar notícias falsas.

O parlamentar, titular do Ministério de Juventude, Esporte e Lazer entre 2011 e 2015, foi condenado por um tribunal do distrito de Plateau, centro financeiro de Abidjan, maior cidade do país, por uma mensagem publicada no Twitter no último dia 9 de janeiro.

Lobognon publicou que a Justiça tinha ordenado a prisão de Jacques Ehouo, do Partido Democrático da Costa do Marfim. No entanto, a notícia foi desmentida pelo próprio promotor indicado pelo parlamentar como o autor do pedido da detenção.

A sentença determina que o deputado pague uma multa de 300 mil francos CFA (cerca de R$ 1950) pela publicação da notícia falsa.

Como protesto pela prisão, Lobognon está em greve de fome no dia 21 de janeiro. Já Ehouo criticou a condenação do colega.

"Os procedimentos judiciais que levaram à prisão de meu colega se devem às declarações para denunciar as intenções do promotor de me prender", disse Ehouo, defendendo Lobognon.

Segundo a defesa do deputado preso, ele estaria sendo perseguido pela relação de proximidade com o presidente da Assembleia Nacional, Guillaume Soro, que deixará o cargo em fevereiro. A imprensa local especula que Soro será candidato à presidência do país em 2020.

"Estou profundamente triste pelo resultado dos eventos e peço o fim de todas essas manobras", concluiu Ehouo. EFE