PUBLICIDADE
Topo

Surto de sarampo já matou 300 pessoas desde agosto em Madagascar

07/02/2019 12h26

Antananarivo, 7 fev (EFE).- Trezentas pessoas morreram desde agosto por um surto de sarampo em Madagascar, que já afetou mais de 50 mil pessoas na ilha africana, segundo dados do Ministério de Saúde do país divulgados nesta quinta-feira pelos veículos de imprensa locais.

O maior número de mortes foi registrado na capital, Antananarivo, onde 1/3 das vítimas morreram (99 pessoas).

A doença viral, muito contagiosa por via aérea e prevenível com uma vacina que custa menos de US$ 1 por unidade, já afetou 106 dos 114 distritos do país, com o registro de 53.459 casos.

Os primeiros casos foram constatados em junho, mas a situação se agravou durante o mês de janeiro, com um grande aumento do número de casos.

O Ministério de Saúde, junto à Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), desenvolve uma campanha de resposta à doença com a vacinação em massa de crianças.

Além disso, o Governo de Madagascar prometeu que os tratamentos médicos serão gratuitos para tratar a doença, que causa febre muito alta e provoca eruções cutâneas no rosto, pescoço, mãos e pés.

A maioria das mortes se deve a complicações do sarampo e não à própria doença em si, que provoca casos muito graves em crianças desnutridas e em pessoas infectadas com o vírus HIV. EFE