PUBLICIDADE
Topo

Bélgica homenageia vítimas no 3º aniversário dos atentados em Bruxelas

22/03/2019 11h01

Bruxelas, 22 mar (EFE).- A cidade de Bruxelas realiza nesta sexta-feira diversos eventos para homenagear as 32 pessoas que morreram e os 320 feridos nos piores atentados de sua história, que completam três anos, cometidos no aeroporto e no metrô da capital da Bélgica.

"Três anos depois, não nos esquecemos dos trágicos atentados que sacudiram nosso país. Neste 22 de março, pensamos nas famílias e nos amigos das vítimas, nas pessoas que ficaram feridas e nos serviços de segurança", disse o primeiro-ministro belga, Charles Michel, no Twitter.

Os líderes da UE, reunidos nesta sexta-feira em uma cúpula europeia, fizeram um minuto de silêncio em homenagem às vítimas.

O mesmo fizeram as famílias e os amigos das 16 vítimas no aeroporto de Zaventem, reunidas na zona de desembarque, em frente a uma placa que lembra o incidente.

Nos últimos dias, algumas vítimas declararam que ainda sofrem de estresse pós-traumático e que não se sentem apoiadas pelas autoridades belgas.

Justamente nesta sexta-feira, a comissão restrita do governo federal está planejando adotar um projeto de lei para fornecer um estatuto às vítimas dos atentados em Bruxelas, que inclui um sistema de pensões, reembolsos e despesas médicas, do qual ficarão excluídos os estrangeiros.

Por outro lado, a famosa estátua Manneken-Pis (menino fazendo xixi) foi vestida hoje com um uniforme dado pelo corpo de bombeiros da capital em 2017.

Um grupo de bombeiros e motoristas de ambulâncias fez um minuto de silêncio na frente da estátua nesta manhã.

A cidade recebe esta noite um evento comemorativo no Espace Magh intitulado "Todos Juntos", no qual uma exposição mostrará as mensagens de solidariedade que os cidadãos deixaram na praça da Bolsa de Valores e na estação de metrô de Maelbeek nos dias posteriores aos atentados.

O evento incluirá apresentações musicais e a projeção de um documentário realizado por duas vítimas dos ataques em Zaventem.

Três anos depois dos ataques, a Justiça belga identificou dez suspeitos, além dos suicidas. Todos eles foram acusados de participação na preparação e execução dos ataques.

A promotoria federal anunciou hoje que está finalizando as investigações e que o relatório será enviado à Justiça.

O julgamento, que não deve começar antes de 2020, poderia acontecer na antiga sede da Organização do Tratado do Atlântico Norte (Otan). EFE