PUBLICIDADE
Topo

Internacional

Trump surpreende e retira sanções impostas ontem à Coreia do Norte

22/03/2019 16h43

Washington, 22 mar (EFE).- O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, retirou de surpresa, nesta sexta-feira, as últimas sanções econômicas impostas à Coreia do Norte, em aparente referência às que foram anunciadas ontem a duas empresas de navegação chinesas por ajudarem o país vizinho com o abastecimento de petróleo.

"Foi anunciado hoje pelo Departamento do Tesouro que sanções adicionais de grande escala seriam acrescentadas às já existentes contra a Coreia do Norte. Ordenei hoje a retirada dessas sanções adicionais!", escreveu Trump no Twitter, sem dar mais detalhes.

Minutos depois, a porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, emitiu um breve comunicado no qual afirmou que "o presidente Trump gosta do líder (norte-coreano, Kim Jong-un) e não acredita que estas sanções sejam necessárias".

Esse recuo pouco habitual parece se referir às sanções impostas na quinta-feira pelo Departamento do Tesouro a duas empresas: Dalian Haibo International Freight Co. Ltd. (Dalian Haibo) e Liaoning Danxing International Forwarding Co. Ltd. (Liaoning Danxing), empresas navais que, segundo os EUA, têm sede na China.

O Departamento do Tesouro justificou ontem a sua decisão com base nas sanções adotadas pelas Nações Unidas em setembro de 2018, cujo propósito era tentar sufocar economicamente a Coreia do Norte pelo programa nuclear mediante a adoção de uma punição às suas importações de petróleo e derivados.

"Os EUA e nossos parceiros seguem comprometidos com o objetivo de alcançar a desnuclearização completa e verificável da Coreia do Norte e acreditamos que a imposição plena das sanções do Conselho de Segurança da ONU é crucial para um resultado bem-sucedido", declarou o secretário do Tesouro, Steven Mnuchin, em comunicado na quinta-feira.

Como consequência das sanções anunciadas, ficariam congelados os ativos que ambas as empresas possam ter sob jurisdição dos EUA e os americanos seriam proibidos de realizar qualquer tipo de transação financeira com elas.

Além disso, o assessor de segurança nacional da Casa Branca, John Bolton, utilizou o Twitter para alertar a "todo o mundo" sobre essas sanções.

"Grandes sanções do Tesouro hoje; a indústria marítima deve fazer mais para acabar com as práticas navais ilegais da Coreia do Norte. Todo o mundo deve tomar nota e revisar as suas própias ações para garantir que não estão envolvidos na evasão de sanções à Coreia do Norte", escreveu Bolton.

A segunda reunião entre Trump e Kim, realizada em fevereiro no Vietnã, acabou antes que o esperado devido à falta de acordo entre ambas as partes sobre o processo de desnuclearização da Coreia do Norte.

Os Estados Unidos atribuíram o fracasso da cúpula em Hanói à suposta exigência norte-coreana de suspender todas as sanções americanas em troca de avanços na desnuclearização. Já a Coreia do Norte contradisse Trump e afirmou que pediu apenas um alívio parcial. EFE

Internacional