PUBLICIDADE
Topo

Internacional

May afirma que renunciará antes da segunda fase de negociação com a UE

27/03/2019 15h36

Londres, 27 mar (EFE).- A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse nesta quarta-feira ao seu grupo parlamentar que renunciará antes que comece a segunda fase de negociações com a União Europeia (UE), em troca de que apoiem seu acordo de retirada, segundo confirmou o governo.

A líder conservadora prometeu "que não dificultará o caminho" para que seu partido eleja um novo líder antes que se inicie com Bruxelas a negociação da futura relação comercial bilateral, segundo os trechos do seu discurso divulgado por Downing Street.

De acordo com o comunicado governamental, May reconheceu que seus deputados desejam "um novo enfoque, uma nova liderança na segunda fase das negociações do Brexit", e que ela "não dificultará o caminho" para isso.

"Estou disposta a deixar este trabalho antes do que pretendia a fim de fazer o que é melhor para o país e para o nosso partido", declarou a primeira-ministra diante de seus colegas.

Em troca, pediu aos seus parlamentares, até agora profundamente divididos sobre o processo de saída da UE - até o ponto de boicotar seus planos -, que respaldem o pacto que negociou em novembro do ano passado com os 27 países da UE, que foi rejeitado em duas ocasiões anteriores, em 15 de janeiro e em 12 de março.

"Peço a todos nesta sala que apoiem o acordo para que possamos completar o nosso dever histórico, cumprir a decisão do povo britânico e deixar a União Europeia de forma suave e ordenada", afirmou May no encontro.

Previamente, ao sair da reunião do grupo em uma sala adjunta do parlamento, o deputado conservador James Cartlidge havia antecipado aos meios de comunicação que a governante tinha assegurado "que não permanecerá no seu posto para a fase seguinte da negociação".

Com esta oferta de renúncia, destinada a aplacar o setor mais eurocético, May confia que seu tratado possa ser finalmente aprovado, talvez ainda esta semana.

O ministro para o Brexit, Stephen Barclay, reservou uma sessão parlamentar para sexta-feira, quando normalmente não há atividade, o que sugere que o governo poderia apresentar seu pacto pela terceira vez.

Ainda não se sabe se a oferta de May de deixar seu posto para que potencialmente pudesse passar às mãos de um conservador mais eurocético conseguirá persuadir os dez deputados do ultraconservador Partido Democrático Unionista (DUP) da Irlanda do Norte, parceiros parlamentares do governo em minoria.

O Reino Unido obteve uma prorrogação da data de saída, prevista inicialmente para 29 de março, até 22 de maio se conseguir ratificar um acordo ou, caso contrário, o país deixará o bloco em 12 de abril sem pacto, a não ser que ofereça uma via alternativa. EFE

Internacional