Topo

Governo espanhol acredita que renúncia de May antecipa "brexit duro"

24/05/2019 11h46

Madri, 24 mai (EFE).- A renúncia da primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, é uma "má notícia porque antecipa um período de dificuldades e um brexit duro", segundo considerou nesta sexta-feira a porta-voz do Governo da Espanha, Isabel Celaá.

"O brexit duro parece nestas circunstâncias uma realidade quase impossível de ser revertida", disse Celaá na entrevista coletiva posterior ao Conselho de Ministros.

A premiê britânica anunciou nesta sexta-feira que renunciará no dia 7 de junho e isto é uma "má notícia para os que desejam uma saída ordenada do Reino Unido da União Europeia", segundo o Governo espanhol.

"May desistiu porque comprovou que o acordo pactuado negociado por seu governo com a União Europeia não tem nenhuma possibilidade de ser aprovado pelo Parlamento britânico", explicou Celaá.

De acordo com a porta-voz, isto "é decisão e responsabilidade exclusiva do Reino Unido, mas antecipa um período de dificuldades", disse a porta-voz.

Após insistir que o governo e o parlamento britânicos são "os únicos responsáveis por uma saída não pactuada e por suas consequências", a porta-voz antecipou que, com esta decisão de May, é previsível "um novo líder conservador duro, um brexit duro e tempos duros".

"Diante destas dificuldades é preciso reforçar nosso compromisso europeu e nossas instituições comuns", reforçou Celaá.

"As dificuldades que atravessamos pela saída desordenada são um claro exemplo do que pode acontecer se deixarmos nos levar pelos extremismos", acrescentou a porta-voz.

"Portanto, é preciso enfrentar a situação empoderando a União (Europeia), uma União forte, graças aos acordos e aos consensos, e não uma União debilitada por extremismos, egoísmos, nacionalismos e falta de solidariedade", definiu.

Para Celaá, as eleições europeias são "cruciais" para demonstrar a força da Europa.

"O novo Governo da Espanha quer contribuir para o fortalecimento da Europa, para a federalização da Europa, para uma Europa diversa, mas forte institucionalmente e economicamente e para uma Europa social", ressaltou.

Celaá lembrou que o Governo preparou "medidas de contingência de sua responsabilidade para garantir a melhorar a situação dos cidadãos e empresas espanholas com interesses no Reino Unido". EFE

Internacional