Topo

Irã diz que sanções dos EUA ao líder supremo terminam com diplomacia

25/06/2019 04h09

Teerã, 25 jun (EFE).- As sanções impostas pelos Estados Unidos ao líder supremo do Irã, Ali Khamenei, representam o fim da diplomacia entre os dois países, disse nesta terça-feira o porta-voz do Ministério das Relações Exteriores iraniano, Abbas Mousavi.

O presidente americano, Donald Trump, impôs ontem sanções a Khamenei, bem como seu gabinete e a oito comandantes iranianos, e esta semana eles serão estendidos ao chefe da diplomacia iraniana, Mohammad Javad Zarif.

As sanções "inúteis" impostas a Khamenei e Yavad Zarif significam "o fechamento permanente do caminho da diplomacia" pelo "governo desesperado dos EUA", disse Mousavi no Twitter.

"O governo Trump está destruindo todos os mecanismos internacionais estabelecidos para manter a paz e a segurança mundial", acrescentou o porta-voz da diplomacia iraniana.

As sanções bloqueiam "qualquer propriedade e interesse" que Khamenei possa ter sob jurisdição dos EUA e também afetam seu gabinete e a qualquer pessoa que o Tesouro decida conveniente castigar pelo seu papel como "funcionário estatal do Irã", é detalhado no texto do decreto.

Pouco antes de assinar esse decreto, Trump disse aos jornalistas que os EUA seguirão "aumentando a pressão sobre o Irã, nunca poderão ter uma arma nuclear".

Washington e Teerã estão em um momento de alta tensão, que subiu nas últimas semanas a ponto de, após a queda iraniana de um avião não tripulado americano no Golfo Pérsico, Trump ter dito que interrompeu no último minuto um plano de ataque seletivo contra o Irã que teria causado cerca de 150 mortes. EFE

Internacional