Topo

Governo reitera compromisso de executar Brexit em 31 de outubro

20/10/2019 08h39

Londres, 20 out (EFE).- O número dois do governo britânico, Michael Gove, reiterou neste domingo o compromisso de executar o Brexit no dia 31 de outubro, embora na noite de sábado tenha sido solicitada à União Europeia (UE) uma prorrogação do prazo para a conclusão do processo.

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, enviou ontem uma carta não assinada à UE na qual pede um adiamento da saída do Reino Unido do bloco para 31 de janeiro, após ter entrado em vigor a chamada Lei Benn com essa exigência.

Junto a essa carta, o premiê enviou uma segunda - assinada -, na qual diz não acreditar que seja benéfico adiar o Brexit para depois de 31 de outubro, a data anteriormente prevista.

Gove declarou neste domingo à emissora "Sky News" que o governo permanece determinado a materializar o Brexit no calendário estabelecido porque, segundo ele, o país sente a necessidade de concluir o processo.

"Sabemos que a UE quer a nossa saída, sabemos que temos um acordo que nos permite sair. Vamos sair em 31 de outubro. Temos os meios e a capacidade para fazê-lo", insistiu Gove, em referência ao acordo selado entre Reino Unido e União Europeia na quinta-feira passada.

"A determinação do primeiro-ministro (pelo Brexit) é total e eu o apoio nisto, temos que sair em 31 de outubro", disse Gove, o responsável pelos preparativos do país para caso aconteça uma saída sem acordo.

Boris Johnson foi obrigado a enviar uma carta à UE com a solicitação de adiamento do Brexit após o Parlamento ter aprovado no sábado uma emenda com essa exigência. Devido à aprovação da medida, o governo decidiu suspender a votação do acordo, que estava prevista para ontem.

Impulsionada pelo deputado ex-conservador e agora independente Oliver Letwin, a emenda foi aprovada por 322 votos a favor e 306 contra em uma sessão extraordinária na Câmara dos Comuns, a câmara baixa do Parlamento britânico.

Como o acordo do Brexit não foi votado, automaticamente entrou em vigor a Lei Benn, tramitada há semanas atrás pelos mesmos deputados e que tem como objetivo impedir uma saída britânica sem acordo autorizado.

A emenda aprovada no sábado foi elaborada como medida de segurança para caso o trâmite parlamentar da lei do Brexit não seja concluído até 31 de outubro, evitando que o Reino Unido saia da UE sem nenhum acordo. EFE

ID: {{comments.info.id}}
URL: {{comments.info.url}}

Ocorreu um erro ao carregar os comentários.

Por favor, tente novamente mais tarde.

{{comments.total}} Comentário

{{comments.total}} Comentários

Seja o primeiro a comentar

Essa discussão está encerrada

Não é possivel enviar novos comentários.

{{user.alternativeText}}
Avaliar:

* Ao comentar você concorda com os termos de uso. Os comentários não representam a opinião do portal, a responsabilidade é do autor da mensagem. Leia os termos de uso

Escolha do editor

{{ user.alternativeText }}
Escolha do editor

Notícias