PUBLICIDADE
Topo

Governador de Nova York diz que 'tsunami' da covid-19 ainda chegará ao estado

Times Square esvaziada em Nova York, nos EUA, durante a pandemia de coronavírus - Lev Radin/Pacific Press/LightRocket via Getty Images
Times Square esvaziada em Nova York, nos EUA, durante a pandemia de coronavírus Imagem: Lev Radin/Pacific Press/LightRocket via Getty Images

em Nova York

30/03/2020 20h44

As autoridades de Nova York alertaram hoje que o "tsunami" do novo coronavírus está chegando e que a região ainda passará por "semanas mais difíceis", coincidindo com a chegada ao porto do navio-hospital USNS Comfort, das Forças Armadas, que tem o objetivo de aliviar a pressão sobre os hospitais da cidade.

"O tsunami está chegando. Sabemos que é hora de reunir suprimentos e fazer os preparativos porque ontem era tarde demais", disse o governador do estado, Andrew Cuomo, em entrevista ao canal "MSNBC".

Por sua vez, o prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, garantiu durante a recepção oficial do navio-hospital em Manhattan: "Isso é apenas o começo. Neste momento, as semanas mais difíceis ainda estão por vir", afirmou.

A chegada do USNS Comfort envolve "750 leitos para aliviar a pressão sobre o sistema de saúde", disse De Blasio, que ressaltou que o navio, com 1,2 mil pessoas entre marinheiros e equipe médica, é um sinal de que os nova-iorquinos não estão sozinhos.

Em entrevista coletiva, o prefeito insistiu na metáfora da guerra que usa desde o início da crise do coronavírus.

"Estamos em uma atmosfera de guerra. Podemos ter tido diferenças em tempos de paz, mas, na medida do possível, precisamos ser um em tempos de guerra. Sei que nossos colegas militares entendem isso, agora todos temos que entender", afirmou De Blasio.

O USNS Comfort partiu no último sábado de Norfork, na Virgínia, e começará as operações amanhã com a missão de "servir os nova-iorquinos que não têm o vírus, mas precisam de cuidados médicos urgentes", a fim de liberar capacidade em hospitais, como explicado pelo presidente Donald Trump.

O estado de Nova York tornou-se o epicentro da pandemia do novo coronavírus nos EUA, o país com o maior número de infecções no mundo, com quase 60 mil casos confirmados e 1 mil mortes, e a cidade de Nova York é a mais atingida, com mais da metade do total de positivos.

Sob as ordens do governador Cuomo, as autoridades estaduais estão trabalhando contra o relógio para tentar expandir sua capacidade hospitalar diante da inundação de pacientes da Covid-19 que estão chegando aos centros e que devem se multiplicar nos próximos dias.

Enquanto isso, no último final de semana, foi instalado um hospital de campanha na grama do famoso Central Park, que fortalecerá a capacidade do hospital Mount Sinai West, localizado nas proximidades, com cerca de 68 leitos localizados em tendas brancas e que deve estar pronto amanhã.

Coronavírus