PUBLICIDADE
Topo

Encerrada a quarentena, 1º trem sai de Wuhan após 76 dias de bloqueio

07.abr.2020 - Pessoas fazem fila fora da estação de trem Wuchang antes que as restrições de viagem para deixar Wuhan fossem suspensas - Stringer/Reuters
07.abr.2020 - Pessoas fazem fila fora da estação de trem Wuchang antes que as restrições de viagem para deixar Wuhan fossem suspensas Imagem: Stringer/Reuters

Em Wuhan

08/04/2020 05h02

Após 76 dias de quarentena em Wuhan, onde começou a pandemia de covid-19, saiu nesta manhã (horário local) o primeiro trem da cidade chinesa.

Desde 23 de janeiro, estavam restringidas todas as saídas desta cidade, capital da província de Hubei, que durante muitas semanas foi o epicentro da doença, não só a nível nacional como global.

Agora, as autoridades dizem ter a situação sob controle, motivo pelo que, ao amanhecer, os serviços ferroviários foram retomados nas três estações de Wuhan.

O primeiro trem a partir de Wuhan após o fechamento da cidade em 11 semanas partiu às 6h25 para a cidade de Jingzhou, em Hubei.

"Estou muito feliz, vou para casa", disse à Agência Efe um passageiro apressado para embarcar rumo à cidade natal.

Espera-se que outros 276 trens partam de Wuhan para grandes cidades como Xangai (leste) e Shenzhen (sudeste) ainda hoje.

De acordo com o jornal oficial "Global Times", os números atualizados no dia anterior mostram que mais de 55 mil passageiros já adquiriram passagens para viajar de trem, 40% destinadas à zona do Delta do Rio das Pérolas (sudeste), onde milhares de fábricas empregam trabalhadores migrantes do resto da China.

As autoridades anunciaram que tinham desinfetado e reparado todas as instalações das estações de Wuhan, assim como mais de 230 trens de alta velocidade que atravessarão a cidade.

Apenas aqueles que puderem provar o bom estado de saúde através de códigos QR gerados através de aplicativos serão elegíveis para adquirir uma passagem, e ainda precisarão passar por controles de temperatura e de identidade.

Os sistemas desenvolvidos pelas autoridades chinesas estabelecem três categorias - verde, amarelo e vermelho - para estes códigos. Um código verde supostamente garante que a pessoa não está infectada e não esteve em contato próximo com casos confirmados ou suspeitos.

Além das conexões ferroviárias, a agência de notícias estatal "Xinhua" informou que serão reativadas nesta quarta-feira mais 30 linhas de ônibus, elevando o número total de linhas operacionais para 346, e que será reaberta outra linha de metrô.

Além disso, voltarão a operar táxis e balsas, assim como ônibus para percursos de longa distância, enquanto as linhas de média e curta distância permanecerão, por enquanto, suspensas.

Os controles de saída nas estradas da cidade, que já tinham sido suspensos pelas autoridades no final de março no resto da província, também foram retirados na noite de terça-feira.

Centenas de veículos começaram a cruzar os pedágios que saem da cidade, onde os controles policiais tinham sido instalados - agora removidos - para impedir os moradores de saírem de Wuhan, segundo imagens transmitidas ao vivo pela televisão estatal "CGTN".

Com horas de antecedência, alguns veículos já estavam em fila de espera para sair de Wuhan assim que os bloqueios fossem suspensos.

O jornal "Global Times" diz que muitos dos que saem são cidadãos que tinham ficado presos em Wuhan sem residir na cidade.

Mas, apesar do otimismo sobre o fim dessa restrição, a imprensa chinesa adverte que a cidade ainda está "longe de voltar à vida normal".

A cidade de Wuhan, de 11 milhões de habitantes, registra desde o final de dezembro mais de 50 mil casos confirmados de Covid-19, dos quais 2.571 morreram, segundo números oficiais.

Coronavírus