Chances de título de Hamilton ficaram por um fio no México, diz chefe da Mercedes

Por Alan Baldwin

CIDADE DO MÉXICO (Reuters) - A Mercedes chegou perto de destruir as esperanças de título de Lewis Hamilton e entregar o campeonato de Fórmula 1 a Nico Rosberg no Grande Prêmio do México no domingo, revelou o chefe da equipe, Toto Wolff.

Depois que o tricampeão mundial venceu a corrida, o austríaco contou a repórteres sobre a incerteza de chamar o britânico de volta aos boxes ou não quando ele danificou um pneu logo na largada.

Se o tivessem feito e Rosberg tivesse vencido a prova, poderiam ter acabado com a disputa entre os dois colegas de Mercedes pelo título.

"Com toda a má sorte que Lewis teve durante a temporada, ele recebeu um pouco (de boa sorte) de volta hoje", disse Wolff.

Hamilton teve um problema com os freios antes da largada e sofreu um travamento na primeira curva, arrastando-se pela grama ao invés de contorná-la.

Isso o deixou com um pneu muito gasto, que provocou vibrações tão fortes que a equipe temeu que a suspensão pudesse quebrar.

"Conversamos bastante pelo rádio para decidir se deveríamos chamá-lo de volta por motivos de segurança", disse Wolff. "Em qualquer outra corrida, teríamos chamado-o de volta e perdido a corrida".

"Nós o mantivemos na pista para não tirar o campeonato dele. Monitoramos as vibrações em cada curva e cada reta. Nossa equipe fez um trabalho fantástico realmente mantendo as coisas sob controle".

"E depois o chamamos um pouco cedo, porque a medição de vibrações estava altíssima e uma falha na suspensão poderia ter acontecido facilmente. Foi o mais cedo que poderíamos tê-lo chamado. Todo o resto teria destruído a corrida".

Hamilton, que fez sua única parada na volta 17, disse aos repórteres que as vibrações estavam tão fortes que ele temeu o pior.

"Eu não sabia se ia conseguir na primeira parada. Honestamente achei que tinha que parar, a vibração era tão grande que eu mal conseguia enxergar", disse.

Rosberg teria sido campeão se tivesse terminado em terceiro e Hamilton não tivesse ficado entre os nove primeiros na chegada. Atualmente o alemão tem uma vantagem de 19 anos faltando duas provas na temporada.

O destino de Hamilton continua fora de suas mãos – Rosberg pode conquistar o campeonato no GP do Brasil se vencer a prova, independentemente da colocação do britânico.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Newsletter UOL

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos