Motorista alemão é preso após atropelar multidão; polícia diz que não há sinais de terrorismo

BERLIM (Reuters) - Um motorista alemão que atropelou uma multidão de pessoas em Heidelberg, matando uma pessoa e ferindo outras duas, não possui ligação aparente com terrorismo e se recusou a responder perguntas sobre o incidente, informou a polícia neste domingo.

O suspeito de 35 anos, que foi perseguido e baleado pela polícia e, posteriormente, operado em um hospital na cidade do sudoeste alemão pelas feridas, foi preso formalmente, segundo comunicado conjunto da polícia e promotor público.

Na noite de sábado, a polícia local negou em publicação no Twitter que o homem teria um histórico imigrante, após uma onda de publicações nas redes sociais dizerem que ele seria um refugiado e autoridades não estariam admitindo.

A Alemanha recebeu mais de um milhão de imigrantes nos últimos 18 meses.

A vítima foi um alemão de 73 anos. Um austríaco de 32 anos e sua parceira bósnia, de 29 anos, ficaram feridos, segundo comunicado.

"Com base nas investigações até o momento, não há sinais de motivos terroristas ou extremistas para o crime", informou o comunicado. "Durante seu primeiro interrogatório, o suspeito não respondeu às acusações".

De acordo com o comunicado, o suspeito aparentemente fugiu do local do crime com uma faca de cozinha na mão. Quando cercado pela polícia, ele ignorou ordens para soltar a faca e foi para cima das autoridades. Após spray de pimenta não pará-lo, um policial atirou, ferindo-o gravemente no estômago.

(Por Michelle Martin, Andreas Kenner e Andreas Burger)

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

Receba por e-mail as principais notícias, de manhã e de noite, sem pagar nada. É só deixar seu e-mail e pronto!

UOL Cursos Online

Todos os cursos