UE esboça controle da Irlanda do Norte e pede conversas mais rápidas sobre Brexit

Por Alastair Macdonald e Gabriela Baczynska

BRUXELAS (Reuters) - A União Europeia poderia manter grande parte do seu controle sobre a Irlanda do Norte após o Brexit, como é conhecida a separação do Reino Unido do bloco, segundo o esboço de um tratado publicado nesta quarta-feira que causou irritação em Londres e Belfast, ao mesmo tempo em que alertou que o tempo para um acordo está acabando.

Michel Barnier, o principal negociador de Bruxelas, negou que a proposta para evitar uma "fronteira dura" problemática entre a UE e o Reino Unido na ilha da Irlanda afrouxaria os laços constitucionais da Irlanda do Norte com o restante do Reino Unido, e enfatizou que está aberto para outras soluções que os britânicos possam oferecer ao dilema de fronteira.

"A vida cotidiana perto da fronteira deveria continuar como hoje", disse Barnier aos repórteres enquanto a Comissão Europeia publicava o esboço do tratado de retirada.

Mas ele insistiu que "o tempo é curto", referindo-se aos 13 meses exatos que o Reino Unido tem antes da desfiliação. Ele pediu à primeira-ministra britânica, Theresa May, para "acelerar o passo" das negociações para que um tratado de saída, incluindo termos para manter o status quo durante um período de transição de dois anos, seja acertado antes do outono local para poder ser ratificado pelos Parlamentos antes de março próximo.

Ele repetiu que a UE está "se preparando para todas as situações" caso não se obtenha nenhum acordo e a segunda maior economia do continente se separe do bloco caoticamente após 46 anos.

May, que apresentará sua visão para um relacionamento de livre comércio pós-Brexit com a UE na sexta-feira, disse que nenhum governo jamais poderia concordar com as propostas da UE e disse que trabalhará para proteger a unidade britânica nas negociações. Ela voltou a descartar uma união alfandegária --algo que seus opositores do Partido Trabalhista defendem como maneira de evitar controles prejudiciais na divisa irlandesa entre a UE e o Reino Unido.

Discursando ao Parlamento em Londres enquanto Barnier falava em Bruxelas, ela reiterou que quer evitar uma fronteira dura. Seus aliados pró-britânicos de Belfast, com os quais ela conta para ter uma ligeira maioria para aprovar a legislação do Brexit, não mediram palavras ao repudiar as propostas de Bruxelas para uma "área regulatória comum" envolvendo a UE e a Irlanda do Norte.

O Partido de Independência do Reino Unido, que ajudou a forçar a realização do referendo que decidiu o Brexit em 2016, acusou o Executivo da UE de tentar "anexar" a Irlanda do Norte.

Receba notícias do UOL. É grátis!

Facebook Messenger

As principais notícias do dia pelo chatbot do UOL para o Facebook Messenger

Começar agora

UOL Newsletter

Receba por e-mail as principais notícias sem pagar nada.

Quero Receber

UOL Cursos Online

Todos os cursos