Topo

Rodoviária Central de Tel Aviv: um terminal encardido, porém com alma

Lior Avshalem, 42 anos, e Rotem Cohen, 41, atores do Mystorin Theatre Ensemble, se apresentam no espetáculo "Seven", um ato específico do local que usa os sete andares da Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel - Corinna Kern/Reuters
Lior Avshalem, 42 anos, e Rotem Cohen, 41, atores do Mystorin Theatre Ensemble, se apresentam no espetáculo "Seven", um ato específico do local que usa os sete andares da Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel
Imagem: Corinna Kern/Reuters

Corinna Kern

Em Israel

19/07/2019 04h00

Aberta em 1993 na esperança de rejuvenescer um de seus bairros mais pobres, a Rodoviária Central de Tel Aviv agora costuma ser tratada como "a Monstruosidade".

Um sonho de desenvolvimento urbano que se tornou um pesadelo, os sete andares de amontoado de corredores encardidos foi concebido como um centro comercial elegante para atender aos fluxos de passageiros.

Mistura eclética

Meninas da Eritreia brincam em uma área aberta em frente à Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel - Corinna Kern/Reuters
Meninas da Eritreia brincam em uma área aberta em frente à Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel
Imagem: Corinna Kern/Reuters

Em vez disso, com muitas de suas lojas há muito fechadas, seu labirinto de corredores deu lugar a uma mistura eclética de comércio e cultura.

Um mercado filipino atende uma grande comunidade de cuidadores de idosos, há uma igreja filipina improvisada, um centro de livros tradicionais em iídiche e casas de câmbio.

Dançarinos, músicos e artistas de circo usam seu espaço gratuito para prática e apresentação, e moradores de rua também são atraídos para suas sombras.

Palco aberto

Dana Forer, 40, atriz e diretora do Mystorin Theatre Ensemble, se apresenta no espetáculo "Seven", um ato específico do local que usa os sete andares da Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel - Corinna Kern/Reuters
Dana Forer, 40, atriz e diretora do Mystorin Theatre Ensemble, se apresenta no espetáculo "Seven", um ato específico do local que usa os sete andares da Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel
Imagem: Corinna Kern/Reuters

A diversidade da rodoviária reflete o bairro, onde uma grande população imigrante vive em blocos de apartamentos em grande parte decrépitos.

Dana Forer, 40 anos, integra a Trupe de Teatro Mystorin, que transformou o prédio em seu lar artístico.

A Rodoviária Central é um playground para a imaginação. Sinto-me cheia de alegria e criatividade quando iluminamos os espaços escuros com nossa apresentação Dana Forer

Familiaridade

Tamar Lehman, 32, conselheira social para jovens doentes mentais, toca um acordeão ao lado de livros colocados dentro de um centro cultural usado por "Yung Yidish", uma organização sem fins lucrativos com o objetivo de preservar a cultura iídiche - Corinna Kern/Reuters
Tamar Lehman, 32, conselheira social para jovens doentes mentais, toca um acordeão ao lado de livros colocados dentro de um centro cultural usado por "Yung Yidish", uma organização sem fins lucrativos com o objetivo de preservar a cultura iídiche
Imagem: Corinna Kern/Reuters

Tamar Lehman, 32 anos, toca acordeão é uma orientadora social para jovens adultos que chegam à estação para praticar dança.

"Sinto que este prédio é como as pessoas com as quais trabalho. Elas podem parecer totalmente confusas em relação a si mesmas, não compreendidas, bizarras, mas quanto mais você sabe sobre as pessoas e sua estrutura interna, lentamente você se familiariza com seu mundo interior, com toda sua loucura, de modo que passa a ver a beleza", disse Lehman.

Encontra tudo

Merry Christ Palacios, 37 anos, uma cuidadora das Filipinas, ora durante um culto realizado na Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel - Corinna Kern/Reuters
Merry Christ Palacios, 37 anos, uma cuidadora das Filipinas, ora durante um culto realizado na Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel
Imagem: Corinna Kern/Reuters

Merry Christ Palacios, 37 anos, é uma cuidadora das Filipinas que faz compras na estação e frequenta sua igreja.

"É especial porque posso encontrar tudo que preciso comprar", ela disse, mas acrescentando que os visitantes precisam ter "muito cuidado com suas bolsas, celulares, dinheiro e coisas" ao percorrerem os corredores da estação.

Magia

Stav Pinto, 24 anos, usa um bambolê enquanto pratica suas habilidades acrobáticas durante uma reunião informal semanal da comunidade de circo na Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel - Corinna Kern/Reuters
Stav Pinto, 24 anos, usa um bambolê enquanto pratica suas habilidades acrobáticas durante uma reunião informal semanal da comunidade de circo na Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel
Imagem: Corinna Kern/Reuters

Stav Pinto, 24 anos, empresta seus talentos circenses para ensinar habilidades de vida para crianças com necessidades especiais. Pinto e seu bambolê fazem parte de um grupo circense informal que se reúne todo início de noite de segunda-feira.

Há um ar mágico na Rodoviária Central que me lembra uma floresta urbana sombria Stav Pinto

"É um lugar de aventura, onde você pode encontra uma grande variedade de pessoas e ser exposta a culturas diferentes. Toda vez que caminho por ela, posso descobrir um novo local que é completamente diferente dos outros."

Ônibus estacionados na Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel - Corinna Kern/Reuters
Ônibus estacionados na Estação Rodoviária Central em Tel Aviv, Israel
Imagem: Corinna Kern/Reuters

Mais Internacional