Topo

Manifestantes de Hong Kong prometem grande marcha no domingo

Manifestantes protestam no hall do aeroporto de Hong Kong - Thomas Peter/Reuters
Manifestantes protestam no hall do aeroporto de Hong Kong Imagem: Thomas Peter/Reuters

18/10/2019 16h13

Ativistas pró-democracia de Hong Kong prometeram hoje que realizarão uma grande marcha no final de semana, apesar de a polícia tê-la declarado ilegal, o que pode resultar em novos tumultos na cidade sob controle chinês que tem sido abalada por meses de protestos violentos.

Hong Kong ficou relativamente calma na última semana, só testemunhando manifestações pequenas e muitas vezes coloridas, e a marcha de domingo testará a força da campanha pró-democracia, que no passado chegou a levar milhões às ruas.

Ao rejeitar o pedido de permissão dos ativistas para a marcha, a polícia disse que eventos passados foram "usurpados por um grupo de manifestantes radicais" que atearam fogo em edifícios, lançaram coquetéis molotov contra policiais, detonaram uma bomba caseira e danificaram infraestrutura.

"Embora sempre respeitemos os direitos de reunião e de liberdade de expressão dos cidadãos, estamos alarmos com esta epidemia na qual manifestantes radicais recorrem à violência ao expressar sua opinião", disse o superintendente-chefe interino da Divisão de Relações Públicas da Polícia, Kong Wing-cheung, ao anunciar a rejeição.

No passado, milhares desafiaram a polícia e realizaram manifestações em massa, muitas vezes pacíficas de início, mas se tornando violentas de noite.

"Não recuaremos, mesmo após o ataque ao convocador da Frente Civil de Direitos Humanos, Jimmy Sham. Nossa força mais poderosa é a unidade e a resistência desta sociedade civil", disse o grupo de direitos humanos, convocando o público a se reunir no domingo.

Ativista proeminente de direitos humanos, Sham foi espancado brutalmente por quatro homens munidos de martelos e facas na quarta-feira, uma ação que parlamentares pró-democracia disseram pretender intimidar manifestantes e incitar a violência antes da marcha planejada para domingo.

Na noite desta sexta-feira, manifestantes formaram uma corrente humana usando máscaras com o semblante de Jimmy Sham com um cartaz dizendo "Somos todos Jimmy Sham".

A corrente humana foi planejada para se estender por 40 quilômetros ao longo do metrô da cidade, e muitas pessoas usavam máscaras excêntricas em desafio à proibição de ocultar o rosto em manifestações públicas.

Usar máscara em manifestações públicas pode acarretar uma pena máxima de um ano de prisão.

"Não estou preocupado em ser processado por ter violado a lei anti-máscara. Acho que as pessoas não terão medo de sair no domingo", disse Kiki, de 29 anos, usando uma máscara de porco.

Internacional