PUBLICIDADE
Topo

Saúde

EUA vão acelerar produção de máscaras e examinar viajantes após 1ª morte por coronavírus no país

O presidente Donald Trump concede entrevista coletiva para anunciar a primeira morte por coronavírus nos EUA - Joshua Roberts/Reuters
O presidente Donald Trump concede entrevista coletiva para anunciar a primeira morte por coronavírus nos EUA Imagem: Joshua Roberts/Reuters

Em Washington

01/03/2020 15h24

Os Estados Unidos começarão a examinar viajantes em busca de coronavírus e aumentarão a produção de máscaras e kits de teste, enquanto o governo luta para tranquilizar os norte-americanos à medida que a doença se espalha, na semana seguinte a fortes quedas nas bolsas de valores globais.

No sábado, autoridades informaram a primeira morte de um norte-americano por coronavírus: um homem de 50 no Estado de Washington. Eles ainda não sabem como ele contraiu a doença. O Estado tem outros dois casos "supostos" em uma instituição de cuidados na qual mais de 50 residentes e funcionários podem apresentar sintomas.

Novos casos foram relatados na área de Chicago e de Rhode Island.

O governo Trump está se esforçando para responder ao vírus —de rápida disseminação e que se originou na China— por meio de restrições de viagens e mensagens generalizadas sobre procedimentos de segurança, enquanto trabalha para evitar o pânico. Cerca de 70 casos foram relatados nos Estados Unidos.

Os mercados acionários caíram na semana passada, com um índice de ações globais sofrendo sua maior queda semanal desde a crise financeira de 2008, e mais de 5 trilhões de dólares apagados dos mercados de ações no mundo inteiro.

Neste domingo, o presidente Donald Trump disse que os viajantes de países com alto risco de coronavírus seriam rastreados antes do embarque e da chegada, sem especificar quais países.

O vice-presidente Mike Pence disse que o governo contratou a 3M Co para produzir 35 milhões de máscaras respiratórias extras por mês. Ele pediu aos norte-americanos que não comprassem as máscaras, que, segundo ele, eram necessárias apenas pelos profissionais de saúde. A Honeywell International Inc. é a outra grande produtora de máscaras dos EUA.

Ele também disse à Fox News que os ensaios clínicos de uma vacina contra o coronavírus começariam em seis semanas, mas que a vacina provavelmente não estará disponível nesta temporada.

(Por Andrea Shalal)

Saúde