PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Merkel diz estar muito preocupada com 2ª onda da pandemia na Alemanha

A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, durante anúncio de novas restrições para conter o coronavírus - Fabrizio Bensch/POOL/AFP
A chanceler da Alemanha, Angela Merkel, durante anúncio de novas restrições para conter o coronavírus Imagem: Fabrizio Bensch/POOL/AFP

Por Emma Thomasson

17/11/2020 09h39

BERLIM (Reuters) - A situação do coronavírus na Alemanha ainda é muito séria, embora o número de infecções não esteja subindo tão rápido, disse hoje a chanceler, Angela Merkel, depois que líderes federais e estaduais adiaram para 25 de novembro uma decisão sobre novas medidas de lockdown.

Merkel disse que teria preferido combinar regras mais rígidas em uma reunião com os líderes ontem, acrescentando que está muito preocupada com a disseminação descontrolada do coronavírus em alguns lugares, incluindo a capital Berlim.

"Os números de infecções não estão mais crescendo exponencialmente, mas ainda estão altos demais. Então temos que diminuir os contatos, diminuir os contatos, diminuir os contatos", disse Merkel em um evento empresarial organizado pelo diário "Sueddeutsche Zeitung".

O número de casos confirmados de coronavírus subiu 14.419 em um dia, mostraram dados do Instituto de Doenças Infecciosas Robert Koch (RKI) hoje, e a quantidade de mortes aumentou em 267. O aumento do número de casos foi menor do que os 15.332 relatados na semana passada, mas os óbitos dispararam em relação aos 154 de então.

Merkel observou que cerca de 30% a 40% da população alemã está vulnerável, incluindo os idosos e aqueles com problemas de saúde preexistentes.

"Colocar a pandemia sob controle é a melhor solução para a economia, também", disse.

Coronavírus