PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Esse conteúdo é antigo

Indonésia recebe 1,2 milhão de doses da CoronaVac e planeja vacinação em massa

A CoronaVac é a mesma vacina que está sendo testada no Brasil em conjunto com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo - Cadu Rolim/Fotoarena/Estadão Conteúdo
A CoronaVac é a mesma vacina que está sendo testada no Brasil em conjunto com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo Imagem: Cadu Rolim/Fotoarena/Estadão Conteúdo

06/12/2020 13h48Atualizada em 07/12/2020 08h29

JACARTA (Reuters) - A Indonésia recebeu sua primeira remessa de vacinas CoronaVac, produzidas pelo laboratório Sinovac, contra o coronavírus no domingo, disse o presidente Joko Widodo, enquanto o governo prepara um programa de inoculação em massa.

Jokowi, como o presidente é amplamente conhecido, disse em um briefing online que o país do sudeste asiático recebeu 1,2 milhão de doses da CoronaVac, que vem sendo testada no país desde agosto.

Ele acrescentou que o governo planeja receber mais 1,8 milhão de doses no início de janeiro.

A Indonésia também deve receber neste mês embarques de matérias-primas para produzir 15 milhões de doses e materiais para 30 milhões de doses no próximo mês, disse o presidente.

A vacina ainda precisa ser avaliada pela agência de alimentos e medicamentos do país (BPOM), enquanto sua administração continua a se preparar para distribuir a vacina em todo o vasto arquipélago de 270 milhões de pessoas, disse Jokowi.

"Há meses nos preparamos por meio de simulações em várias províncias e tenho certeza que assim que for decidido que podemos começar a vacinação, tudo estará pronto", disse.

O número diário de infecções por coronavírus na Indonésia acelerou nas últimas semanas, com o total de casos confirmados chegando a 575.796 no domingo, com 17.740 mortes, o maior no Sudeste Asiático.

A CoronaVac recebida pela Indonésia é a mesma vacina que está sendo testada no Brasil em conjunto com o Instituto Butantan, ligado ao governo de São Paulo.

O Brasil já recebeu pouco mais de 1 milhão de doses da vacina e o governador de São Paulo, João Doria (PSDB), afirma que será possível produzir um total de 46 milhões de doses até janeiro.

Doria informou ainda que será possível iniciar a vacinação com a CoronaVac já em janeiro. No entanto, a vacina chinesa ainda não está nos planos do Ministério da Saúde, que fala em iniciar a vacinação apenas em março.

(Reportagem de Tabita Diela)

Errata: o texto foi atualizado
Diferentemente do que informou o último parágrafo, o Ministério da Saúde anunciou que espera iniciar a vacinação em março, não em janeiro. A informação foi corrigida.

Coronavírus