PUBLICIDADE
Topo

Coronavírus

Conteúdo publicado há
1 mês

Índia registra recorde diário de mortes de Covid; delegados são diagnosticados em reunião do G7

Profissionais de um necrotério colocam corpo de pessoa que morreu de covid-19 em ambulância em Nova Délhi para transportá-lo para cremação - Por Tanvi Mehta
Profissionais de um necrotério colocam corpo de pessoa que morreu de covid-19 em ambulância em Nova Délhi para transportá-lo para cremação Imagem: Por Tanvi Mehta

Tanvi Mehta

05/05/2021 08h40

Por Tanvi Mehta

NOVA DÉLHI (Reuters) - A Índia respondeu por quase metade dos casos de coronavírus relatados globalmente na semana passada, informou a Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quarta-feira, quando as mortes da nação do sul asiático aumentaram um recorde de 3.780 nas 24 horas anteriores.

Em um relatório semanal, a OMS disse que a Índia respondeu por 46% dos casos globais e 25% da mortes relatadas em todo o mundo na última semana.

As infecções diárias aumentaram 382.315 nesta quarta-feira, o 14º dia seguido acima de 300 mil, mostraram dados do Ministério da Saúde.

Os hospitais estão à caça de leitos e oxigênio enquanto combatem desesperadamente uma segunda onda mortal de infecções, e necrotérios e crematórios têm dificuldade de lidar com um fluxo aparentemente incessante de corpos.

Muitas pessoas morrem em ambulâncias e estacionamentos esperando um leito ou oxigênio.

O governo do primeiro-ministro, Narendra Modi, é muito criticado por não agir mais cedo para conter a segunda onda, já que eventos de grande disseminação, como festivais religiosos e comícios políticos, atraíram dezenas de milhares de pessoas.

"Precisamos de um governo. Desesperadamente. E não temos um. Estamos ficando sem ar. Estamos morrendo", escreveu Arundhati Roy, autora vencedora do Prêmio Booker, em um artigo de opinião pedindo que Modi renuncie.

A delegação indiana na reunião de ministros das Relações Exteriores do G7 em Londres está isolada desde que dois de seus membros foram diagnosticados com Covid-19, disse o Reino Unido na segunda-feira.

O chanceler Subrahmanyam Jaishankar, que está em Londres, disse em um tuíte que participará virtualmente, mas a emissora Sky News disse que ele não foi diagnosticado com o vírus.

Especialistas médicos dizem que os números reais da Índia podem ser de cinco a 10 vezes maiores do que a contagem oficial. O país acumulou 10 milhões de casos em pouco mais de quatro meses --os primeiros 10 milhões de casos demoraram mais de 10 meses.

Dois trens "expressos do oxigênio" que transportam o gás salvador de vidas em forma líquida, chegaram à capital, Nova Délhi, nesta quarta-feira, disse o ministro das Ferrovias, Piyush Goyal, no Twitter. Mais de 25 trens distribuem suprimentos de oxigênio em todo o país.

O governo diz que os suprimentos são suficientes, mas problemas de transporte dificultam a distribuição.

A disparada indiana de infecções coincide com uma diminuição dramática de vacinações por causa de problemas de suprimento e entrega.

(Por Tanvi Mehta em Nova Délhi e Chanchinmawia em Aizawl)

Coronavírus