PUBLICIDADE
Topo

Bolsonaro autoriza entrada de forças dos EUA no país para exercício militar

O presidente Jair Bolsonaro participa no Palácio do Planalto do anúncio do Habite Seguro, programa da Caixa que vai oferecer condições de crédito imobiliário a profissionais da segurança pública - Dida Sampaio/Estadão Conteúdo
O presidente Jair Bolsonaro participa no Palácio do Planalto do anúncio do Habite Seguro, programa da Caixa que vai oferecer condições de crédito imobiliário a profissionais da segurança pública Imagem: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

14/10/2021 09h05Atualizada em 14/10/2021 10h06

O presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto em que autoriza o ingresso e a permanência temporária de militares dos Estados Unidos no território brasileiro para a realização de um exercício conjunto com o Exército de 28 de novembro a 18 de dezembro de 2021, na região do Vale do Paraíba, no trecho entre os municípios de Resende (RJ) e de Lorena (SP).

Os exercícios combinados das forças militares dos dois países, chamados de CORE (Combined Operations and Rotation Exercises), foram concebidos durante conferência bilateral realizada entre Brasil e EUA em outubro do ano passado, com o objetivo de incrementar a cooperação entre os dois Exércitos, conforme comunicado da Secretaria-Geral da Presidência.

O primeiro exercício foi realizado entre janeiro e março deste ano, em Fort Polk, no Estado norte-americano da Louisiana, e a previsão é que as manobras conjuntas ocorram todos os anos até 2028.

"Ressalte-se que iniciativas como esta se inserem no contexto do Acordo Bilateral entre o Governo da República Federativa do Brasil e o Governo dos Estados Unidos da América sobre Cooperação em Matéria de Defesa, firmado em Washington, em 12 de abril de 2010, e promulgado pelo Decreto nº 8.609, de 18 de dezembro de 2015", destacou a nota da Presidência.

O Ministério da Defesa, por meio do Comando do Exército, é a instituição responsável pela organização e execução do chamado Exercício de adestramento CORE 21.