América do Sul não precisa de "confusão", diz Lula sobre disputa entre Venezuela e Guiana

BRASÍLIA (Reuters) - O presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou neste domingo que a América do Sul não precisa de "confusão" e defendeu que o "bom senso prevaleça", no dia em que o governo venezuelano promove um referendo nacional sobre a anexação de uma parte da vizinha Guiana.

"A América do Sul não está precisando agora de confusão. Espero que o bom senso prevaleça, do lado da Venezuela e do lado da Guiana", disse Lula em entrevista coletiva em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, onde participou da COP28, a cúpula do clima da ONU.

"A humanidade deveria ter medo de guerra. Só faz guerra quando falta bom senso. Quando o poder da palavra se exauriu por fragilidade dos conversadores. Vale mais a pena uma conversa do que uma guerra", ressaltou.

O presidente disse ainda ter conversado por telefone com seu contraparte da Guiana, Irfaan Ali, por duas vezes, e lembrou que o assessor especial para assuntos internacionais da Presidência, Celso Amorim, foi à Venezuela falar com o presidente daquele país, Nicolás Maduro.

“Obviamente que o referendo vai dar o que o Maduro quer, porque é um chamamento ao povo para aumentar aquilo que ele entende que seja o território dele", disse Lula aos jornalistas, antes de viajar para a Alemanha.

Maduro reivindica a anexação da área chamada de Essequibo, uma região que representa a maior parte do território guianense conhecida por riquezas minerais e petróleo.

Em meio à tensão, o Brasil aumentou a sua presença militar na fronteira entre os dois países, informou o Ministério da Defesa à Reuters na sexta-feira.

(Reportagem de Ricardo Brito)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes