PF deflagra operação para combater organização acusada de provocar maior desmatamento da Amazônia

BRASÍLIA (Reuters) - A Polícia Federal deflagrou nesta quarta-feira uma operação para desarticular uma organização criminosa suspeita de cometer fraudes com o objetivo de invadir e desmatar terras na Amazônia, sendo responsável pelo "maior desmatamento do bioma amazônico" informou a PF em comunicado.

Segundo as investigações, foram “grilados” cerca de 22 mil hectares que, em boa parte, foram objeto de desmatamento para a inserção de gado. No âmbito da operação, a Justiça Federal decretou o sequestro de aproximadamente 116 milhões de reais e nove imóveis dos suspeitos.

Ao todo, 80 policiais participam da operação e cumprem 11 mandados de busca e apreensão nos Estados do Pará e Mato Grosso contra engenheiros, empresários e servidores públicos paraenses.

Os alvos fariam parte de uma organização criminosa juntamente com uma família de agropecuaristas, segundo a PF. Duas empresas de regularização fundiária também foram alvo e também um escritório de advocacia que teria acesso privilegiado a informações.

Essa é a segunda fase da chamada Operação Retomada. Na primeira, em agosto, a PF cumpriu três mandados de busca e apreensão nos municípios de Novo Progresso/PA e Sinop/MT, sequestro de veículos, cerca de 20 imóveis, sendo 11 fazendas, bem como a indisponibilidade de 10 mil cabeças de gado.

(Reportagem de Ricardo Brito)

Veja também

Deixe seu comentário

Só para assinantes