Conteúdo publicado há 3 meses

Partido pede que Suprema Corte anule decisão que tornou Trump inelegível no Colorado

O Partido Republicano do Colorado pediu na quarta-feira que a Suprema Corte dos Estados Unidos intervenha depois que o tribunal superior do Colorado desqualificou o ex-presidente Donald Trump de aparecer na cédula da primária no Estado, disse um advogado do partido.

A apelação ocorre depois que a Suprema Corte do Colorado, em 19 de dezembro, desqualificou Trump por conta de seu papel no ataque ao Capitólio dos EUA em 6 de janeiro de 2021 por seus apoiadores. O tribunal barrou Trump de ocupar um cargo público de acordo com uma disposição constitucional que proíbe qualquer pessoa que "tenha se envolvido em insurreição ou rebelião".

Espera-se que Trump, o principal candidato à indicação presidencial republicana para 2024, apresente seu próprio recurso. O tribunal superior estadual havia suspendido sua decisão até 4 de janeiro, declarando que Trump permaneceria na cédula eleitoral se recorresse.

A decisão do tribunal do Colorado marcou a primeira vez na história que a Seção 3 da 14ª Emenda da Constituição dos EUA - a chamada cláusula de desqualificação - foi usada para considerar um candidato presidencial inelegível à Casa Branca.

A decisão da Suprema Corte do Colorado, por 4 a 3, reverteu a conclusão de um juiz de uma instância inferior de que Trump se envolveu em insurreição ao incitar seus apoiadores à violência, mas, como presidente, ele não era uma "autoridade dos Estados Unidos" que poderia ser desqualificada de acordo com a emenda.

O tribunal do Colorado concluiu que o papel de Trump ao instigar a violência no Capitólio, enquanto os parlamentares se reuniam para certificar os resultados da eleição de 2020, constituiu envolvimento em insurreição e que a Presidência está incluída na cláusula.

O ataque foi uma tentativa dos apoiadores de Trump de anular sua derrota na eleição de 2020 para Joe Biden, a qual Trump alega falsamente ter sido resultado de fraude.

Os tribunais têm rejeitado várias ações judiciais que buscam manter Trump fora das cédulas primárias em outros Estados.

Deixe seu comentário

Só para assinantes