PUBLICIDADE
Topo

Holandeses vão à Grécia buscar refugiados em véspera de Natal

24/12/2018 13h44

Enquanto a Europa ainda se divide com relação ao destino de milhares de refugiados que batem às portas do continente, sessenta voluntários holandeses chegaram em Atenas nesta segunda-feira (24) com uma missão humanitária. Depois de viajarem de carro, atravessando os Balcãs, eles reivindicam o direito de levarem 150 migrantes para o seu país.

Enquanto a Europa ainda se divide com relação ao destino de milhares de refugiados que batem às portas do continente, sessenta voluntários holandeses chegaram em Atenas ...

Em frente ao Parlamento grego, acompanhados por representantes locais do movimento antirracista, os ativistas holandeses exibiram cartas escritas por milhares de seus compatriotas exigindo a transferência, para a Holanda, de refugiados que se encontram em campos superlotados na Grécia.

Uma petição recolheu quase 44.800 assinaturas de cidadãos holandeses preocupados com a situação dos refugiados, que foi apresentada ao presidente do Parlamento grego.

"Não podemos ficar em casa e ver um desastre humanitário acontecer nos portões da Europa", disse Rikko Voorberg, porta-voz do movimento que reúne diversas ONGs e cujo nome pode ser traduzido como “Vamos trazê-los aqui". Eles também escreveram uma carta ao primeiro ministro grego, Alexis Tsipras, e ao ministro da Imigração da Grécia, Dimitris Vitsas, para explicar a iniciativa.

"Nós apenas queremos que o governo holandês cumpra suas promessas de acolhimento, de 2015, e que todos os países europeus compartilhem essa responsabilidade de receber os refugiados", completou Rikko.

Tráfico ilegal de pessoas

Na semana passada, o governo holandês alertou os voluntários que as ações do grupo poderiam ser consideradas como tráfico ilegal de seres humanos.

"O transporte ilegal de estrangeiros sem visto é equivalente ao tráfico de pessoas e, portanto, passível de penalidade conforme a lei", afirmou o secretário de justiça holandês, Mark Harbers.

"Não queremos fazer nada ilegal, mas mobilizar a sociedade sobre essa questão”, respondeu Rikko Voorberg. “Os Países Baixos poderiam acomodar 1.000 refugiados, segundo um acordo bilateral com a Grécia, assim como Portugal já fez recentemente”, lembrou. “Nós temos a capacidade e o dever", concluiu.

A Holanda se comprometeu a acomodar 5.947 refugiados da Grécia e da Itália, como parte do programa europeu de acolhimento lançado durante a crise migratória de 2015, que se estendeu até setembro de 2017. Porém, somente 2.775 pessoas foram efetivamente transferidas desses países para a Holanda.

Atualmente, mais de 69.000 refugiados se encontram na Grécia, dos quais 16.000 nas ilhas do Mar Egeu, segundo dados do Alto Comissariado para os Refugiados das Nações Unidas (ONU). A maioria vive em abrigos superlotados e em condições insalubres.