PUBLICIDADE
Topo

"Bolsonaro é muito ignorante" porque "não foi alfabetizado pelo método Paulo Freire", diz filha do educador brasileiro

Paulo Freire - Reprodução/Writing Cities
Paulo Freire Imagem: Reprodução/Writing Cities

Valéria Maniero

Correspondente da RFI na Suíça

20/12/2019 11h55

Cristina Freire Heiniger, de 72 anos, filha do educador Paulo Freire, falou com a RFI com exclusividade sobre as críticas sistemáticas feitas pelo presidente brasileiro, Jair Bolsonaro (sem partido), ao educador. Esta semana, o líder da extrema-direita do Brasil voltou a atacar "esse tal de Paulo Freire", depois de chamá-lo de "energúmeno". Para Bolsonaro, Freire é o responsável pela baixa qualidade da educação no Brasil. Ele relaciona as ideias do educador ao resultado do país no Pisa (Programa Internacional de Avaliação de Estudantes), que nunca foi bom.

"Ele chamou meu pai de quê? De energúmeno? Que idiota. Talvez ele, simplesmente, não esteja sabendo que o método de alfabetização é para adultos. Se se trata de jovens e adolescentes, não se vai usar Paulo Freire. Ele é muito ignorante. Bastava que ele soubesse isso. É um método para alfabetizar. Nesse caso, o energúmeno é ele, o nosso presidente", disse Cristina, que mora em Genebra desde os 24 anos, quando o pai foi para a Suíça como exilado.

Ela diz que, para o gosto dela, Bolsonaro não deveria ter vencido as eleições presidenciais porque, segundo ela, não governa para o Brasil inteiro e "não representa todos os brasileiros, longe disso". "Por isso, se permite, como o energúmeno que ele é, dizer o que diz do professor Paulo Freire", reiterou, por telefone.

Perguntada pela RFI sobre as razões por trás das críticas sistemáticas do presidente ao educador, Cristina disse, rindo, que é porque ele "não foi, justamente, alfabetizado pelo método Paulo Freire". Também as classificou como "uma estupidez enorme".

"Ele é um ignorante, analfabeto na minha maneira de ver, no sentido de não ver a realidade tal qual. Ele, simplesmente, está atrasado demais da conta. A prova é que, hoje em dia, é vergonhoso dizer na Europa que você é brasileiro. A Europa está escandalizada com o nosso presidente. Paulo Freire, sem nunca ter sido presidente - aliás, ele nunca quis - foi melhor educador do que ele, presidente. Isso não há dúvida".

"Bolsonaro é um homem difícil de compreender"

Na avaliação de Cristina, o Brasil se dividiu entre os que estão com Bolsonaro e os que estão com Paulo Freire. "Quando se fala de Paulo Freire fora do Brasil, é só elogio. Quando se fala no Brasil - o próprio presidente e os que estão com ele - só jogam m...! Pois, com muito prazer, eu chamo ele [Bolsonaro] de energúmeno, gostei. É difícil de pronunciar, mas ele também é um homem difícil de compreender devido à sua ignorância", afirmou.

Cristina não tem vontade de responder diretamente a Bolsonaro porque "ele não merece que eu diga nada para ele". "Eu o considero um ser humano. E já é muito. Não tenho a menor vontade de responder a ele. Nem ruim nem bom. Ignoro. E não só pelas coisas erradas e injustas sobre o meu pai. Ele não merece meu comentário", completa.

O fato de Bolsonaro citar tanto Paulo Freire tem o efeito contrário do esperado, na opinião de Cristina Freire. "Se ele fosse mais inteligente, não deveria fazer tanta balbúrdia, e esqueceríamos Paulo Freire, mas a atitude dele mostra a ignorância desse homem. Ele não percebe que está atiçando que se defenda Paulo Freire. Mas ele continua criticando, dizendo mentiras. Pelo amor de Deus, só com muita paciência. Esse presidente envergonha os brasileiros", desabafou.

Um dia depois de o presidente Bolsonaro ter chamado Freire de energúmeno, Senado e Câmara aprovaram homenagens ao educador.

Ouça o podcast Baixo Clero com análises políticas de blogueiros do UOL.

Os podcasts do UOL estão disponíveis no Spotify, Apple Podcasts, Google Podcasts e outras plataformas de áudio.

Política