PUBLICIDADE
Topo

Franceses celebram nova fase do fim da quarentena em calçadas de cafés e restaurantes

Um garçom trabalha no terraço do Cafe de Flore em Paris; cafés e restaurantes reabriram hoje na França - Martin BUREAU / AFP
Um garçom trabalha no terraço do Cafe de Flore em Paris; cafés e restaurantes reabriram hoje na França Imagem: Martin BUREAU / AFP

02/06/2020 09h06

Um dia de libertação para os franceses e de retomada das atividades para donos de bares, cafés e restaurantes. Com o início oficial da segunda fase do relaxamento da quarentena, as calçadas se encheram de clientes a partir da meia-noite desta terça-feira (2).

Beber um café ou um vinho em um bar ou pegar um trem em direção ao litoral. Os franceses retomam parte de sua liberdade nesta terça-feira, após meses impedidos de frequentar restaurantes ou de viajar além de 100 quilômetros de casa.

Graças à diminuição das contaminações por coronavírus e à queda do número de vítimas nas UTIs, a França pode iniciar a fase 2 do relaxamento da quarentena, um retorno quase total à normalidade. No entanto, nos departamentos ultramarinos da Guiana, na fronteira com o Brasil, e da Mayotte, no Oceano Indico, bem como na região parisiense, algumas restrições ainda seguem ativas.

Nas zonas "verdes", consideradas sem risco, restaurantes, cafés e bares podem reabrir, mas com o limite de dez clientes por mesa e uma distância de ao menos um metro entre cada grupo. Nas áreas "laranja", onde a vigilância contra o vírus segue ativa, apenas espaços ao ar livre dos estabelecimentos puderam reabrir.

Em Paris, muitos bares levaram ao pé da letra o início oficial da segunda fase do relaxamento da quarentena e começaram a receber os clientes em mesas nas calçadas a partir da meia-noite de terça-feira. No entanto, tiveram de fechar às 2h da manhã, horário limite de funcionamento desses estabelecimentos.

"É o otimismo que reina hoje", afirma Hervé Becam, vice-presidente da União das Profissões e Indústrias da Hotelaria.

Outros parisienses preferiram comemorar o início da nova fase pela manhã. Perto do Canal Saint-Martin, no 10° distrito da capital francesa, a jovem Charlotte pode marcar, pela primeira vez desde 16 de março, um café com um amigo. "Nos levantamos cedo apenas para isso. Queríamos apreciar o café no bar embaixo de nosso apartamento", contou.

Autorização para viajar, frequentar museus e teatros

A partir desta terça-feira, os franceses também terão permissão para viajar dentro do país, para além dos 100 quilômetros que a fase 1 do fim da quarentena permitia. Será o momento para muitas famílias poderem voltar a se reencontrar.

Praias, museus, monumentos, zoológicos, piscinas, academias e teatros poderão reabrir nas zonas verdes, respeitando as regras de distanciamento e o uso de máscara em lugares fechados. Os cinemas começarão a receber o público a partir de 22 de junho. Nesta mesma data, a situação das zonas laranja, onde se encontra a capital, Paris, será revisada. No entanto, no último fim de semana, a região parisiense pode reabrir seus parques e jardins.

A reabertura das escolas segue sendo realizada de forma progressiva em toda a França. Depois do ensino fundamental, os alunos do Ensino Médio voltam às aulas nas zonas verdes. Na região parisiense, os estudantes estão sendo acolhidos em pequenos grupos para uma retomada parcial das atividades.

Precaução continua sendo a regra

Apesar do sentimento de liberdade dos franceses, as autoridades fazem apelo ao respeito das medidas de proteção ao coronavírus e lembram que a precaução continua sendo a regra.

No total, a doença deixou até agora 28.883 mortos na França, segundo o balanço publicado na noite de segunda-feira (1°). O número de pacientes nas UTIs continua a diminuir (1.302), 17 a menos do que no domingo (31).

O StopCovid, aplicativo para rastrear doentes, pode ser baixado em smartphones a partir desta terça-feira. "Precisamos que o máximo de cidadãos o utilizem", afirma do secretário de Estado para o Digital Cédric O. Segundo ele, a principal recomendação do mecanismo é para os moradores das grandes cidades, onde o vírus ainda circula.

Em caso de uma segunda onda da doença, o governo já previu que as medidas de confinamento podem ser restabelecidas, especialmente das de restrição de circulação. No entanto, o otimismo está no ar, e o início desta nova etapa é comemorada até mesmo pelo presidente francês, Emmanuel Macron.

"A reabertura de cafés, hoteis e restaurantes é um sinal da volta dos dias felizes!", escreveu no Twitter. "Não há dúvidas que os franceses sairão para retomar essa característica do nosso espírito, nossa cultura e nossa arte de viver", reiterou.

Coronavírus