PUBLICIDADE
Topo

Kennedy Alencar: Bolsonaro mente na ONU ao atribuir queimadas a índios e caboclos

Do UOL, em São Paulo

22/09/2020 12h55Atualizada em 22/09/2020 14h53

Direto dos Estados Unidos, o colunista Kennedy Alencar analisa o discurso feito pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) nesta terça-feira (22), na Assembleia Geral da ONU (Organização das Nações Unidas). Para o jornalista, Bolsonaro mentiu ao tentar atribuir queimadas a índios e caboclos.

"Não é verdade, o governo dele [Bolsonaro] é aliado de fazendeiros e garimpeiros ilegais que desmatam a Amazônia e o Pantanal para formar pasto. O ministro Ricardo Salles [do Meio Ambiente] enfraqueceu os mecanismos de combate a crimes ambientais", avalia.

No discurso, Bolsonaro pediu à comunidade internacional que combata o que chamou de "cristofobia" (aversão a Cristo e ao cristianismo em geral). O brasileiro também voltou a elogiar o presidente dos EUA, Donald Trump, a quem é aliado. Para Kennedy, esse foi mais um sinal de submissão de Bolsonaro ao governo americano.

"Foi um discurso de 14 minutos, e Bolsonaro mais uma vez envergonha o Brasil. O discurso dele foi constrangedor, porque não para em pé", conclui o jornalista.