PUBLICIDADE
Topo

Coluna

Jamil Chade


Reino Unido flexibiliza entrada para 50 países. Mas deixa Brasil de fora

Cemitério Parque Tarumã, em Manaus - Bruno Kelly
Cemitério Parque Tarumã, em Manaus Imagem: Bruno Kelly
Jamil Chade

Jamil Chade é correspondente na Europa há duas décadas e tem seu escritório na sede da ONU em Genebra. Com passagens por mais de 70 países, o jornalista paulistano também faz parte de uma rede de especialistas no combate à corrupção da entidade Transparência Internacional, foi presidente da Associação da Imprensa Estrangeira na Suíça e contribui regularmente com veículos internacionais como BBC, CNN, CCTV, Al Jazeera, France24, La Sexta e outros. Vivendo na Suíça desde o ano 2000, Chade é autor de cinco livros, dois dos quais foram finalistas do Prêmio Jabuti. Entre os prêmios recebidos, o jornalista foi eleito duas vezes como o melhor correspondente brasileiro no exterior pela entidade Comunique-se.

Colunista do UOL

03/07/2020 11h25

O governo britânico facilita a entrada de pessoas que chegam aos seus aeroportos vindas de mis de 50 países. Mas o Brasil não foi incluído e foi classificado numa espécie de "lista vermelha" de Londres.

A partir da semana que vem, passageiros que desembarquem de países como França, Espanha, Alemanha e Itália, não precisarão mais ficar em quarentena. Esses seriam os países que representam um "risco reduzido" no que se refere à pandemia.

Hoje, praticamente todos os passageiros que chegam ao Reino Unido são obrigados a permanecer em isolamento por duas semanas.

Com a nova lista, essas pessoas não precisariam seguir a regra do isolamento. A nova classificação inclui os europeus, além de Vietnã, Japão, Hong Kong, Coreia do Sul, Turquia e Taiwan.

Mas o Brasil e EUA não fazem parte. O Reino Unido manteve as restrições para locais onde a transmissão é considerada como intensa.

No caso brasileiro, o país acumula o segundo maior número de casos do mundo, o segundo maior número de mortes e não há sinal de que a transmissão esteja perdendo força.

Nesta semana, o Brasil também ficou de fora da lista dos 27 países da UE de sua reabertura de fronteiras. O bloco irá rever a lista a cada 15 dias. Mas, pelos critérios estabelecidos, a inclusão de turistas brasileiros pode levar semanas ainda para ocorrer.

Jamil Chade