PUBLICIDADE
Topo

Tales Faria

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Presidente do partido de Kajuru: conversa foi "estultice antidemocrática"

Senador Jorge Kajuru - Divulgação
Senador Jorge Kajuru Imagem: Divulgação
Tales Faria

Tales Faria largou o curso de física para se formar em jornalismo pela UFRJ em 1983. Foi vice-presidente, publisher, editor, colunista e repórter de alguns dos mais importantes veículos de comunicação do país. Desde 1991 cobre os bastidores do poder em Brasília. É coautor do livro vencedor do Prêmio Jabuti 1993 na categoria Reportagem, ?Todos os Sócios do Presidente?, sobre o processo de impeachment de Fernando Collor de Mello. Participou, na Folha de S.Paulo, da equipe que em 1986 revelou o Buraco de Serra do Cachimbo, planejado pela ditadura militar para testes nucleares.

Chefe da Sucursal de Brasília do UOL

12/04/2021 13h14

O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) não tem apoio nem do presidente nacional de seu partido, o ex-deputado Roberto Freire (SP), para o affair envolvendo sua conversa com o presidente Jair Bolsonaro. Freire disse ao blog que o Cidadania estuda novo pedido de impeachment contra Bolsonaro por conta das agressões ao Supremo Tribunal Federal e ao Senado, na pessoa do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP).

No diálogo, que o próprio senador gravou e divulgou neste final de semana, o presidente da República criticou a possível instalação de uma CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) para investigar a pandemia da covid-19 no Brasil e cobrou que, além do governo federal, sejam investigados também governadores e prefeitos.

Bolsonaro insistiu ainda na abertura de processo de impeachment contra ministros do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele elogiou Kajuru por ter pedido abertura de processo de impeachment contra o ministro Alexandre de Moraes, do STF.

Nesta segunda-feira, Kajuru divulgou novo trecho da conversa em que Bolsonaro afirma:

"Se você não participa (da CPI), daí a canalhada lá, do Randolfe Rodrigues, vai participar. E vai começar a encher o saco. Daí, vou ter que sair na porrada com um bosta desse."

Para Freire, a conversa representa uma "epopeia de dois aloprados que não medem consequência nas suas palavras e atos".

O presidente nacional do Cidadania vai mais além:

"Trata-se de um cipoal de estultices antidemocráticas que não se coadunam com o que eles devem reapresentar. Graves afirmações que configuram no mínimo crime de responsabilidade de Bolsonaro ao agir contra os outros dois poderes da República."

Freire diz não saber se Bolsonaro e Kajuru combinaram a gravação e sua divulgação. "Não sei. Vão ter, naturalmente, duas versões: a de Bolsonaro e a de Kajuru", disse. Mas vai discutir com outros partidos o enquadramento de Bolsonaro:

"Quanto ao crime de responsabilidade, vamos conversar com outros partidos e instituições da sociedade civil. Cabe um pedido de impeachment sim."

Nota: na noite deste dia 12, após essa entrevista, a Executiva do Cidadania decidiu pedir a Kajuru que saia do partido: https://noticias.uol.com.br/colunas/tales-faria/2021/04/12/cidadania-convidara-kajuru-a-se-retirar-do-partido.htm