Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos

Vídeo em que Haddad fala em subir rampa com Lula não é promessa de campanha

Arte/UOL
Imagem: Arte/UOL

Do UOL, em São Paulo

09/10/2018 19h18

É enganoso o vídeo em que o presidenciável Fernando Haddad (PT) afirma que vai subir a rampa em 1º de janeiro com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele foi tirado do contexto original para parecer uma promessa de campanha do candidato petista. A gravação, que tem sido disseminada em redes sociais, no WhatsApp e em sites nos últimos dias, foi feita em agosto, antes de a candidatura de Lula ser indeferida pelo TSE (Tribunal Superior Eleitoral). Na ocasião, Haddad ainda era candidato a vice-presidente.

Para chegar ao vídeo original, o projeto Comprova pesquisou os termos “Haddad”, “rampa”, “lula”, “progressistas” e “justiça”, palavras usadas pelo presidenciável, na busca do Google. Além de links recentes tratando a história, apareceram algumas notícias do dia em que ele foi gravado: 6 de agosto de 2018. O segundo passo foi encontrar a gravação no Twitter oficial do Lula, onde ele foi divulgado.

Em algumas publicações enganosas no Instagram e no Facebook, o vídeo é acompanhado por legendas que dizem que a fala de Haddad é uma “promessa de campanha”. O vídeo original, porém, tem 58 segundos, 25 a mais do que esta versão que vem sendo compartilhada.

O trecho suprimido daria indícios, a quem assistisse, de que a declaração de Haddad fora feita em outro contexto. "Acabamos de montar as coligações em torno da candidatura do Lula, já temos Pros e PCdoB conosco, PCO apoiando, chapa montada, vai a registro amanhã, aí nós vamos, dia 15, levar pro TSE, e eu tenho certeza que o povo brasileiro vai estar cada vez mais engajado na campanha", diz Haddad antes de mencionar a rampa presidencial.

A gravação original foi feita e postada no dia 6 de agosto, dois dias após o PT definir a candidatura de Lula em convenção partidária. O TSE só confirmou a inelegibilidade de Lula no dia 31 de agosto, e Haddad só assumiu o posto no dia 11 de setembro.

A fala, então, não configura uma promessa de campanha, mas um a “torcida” para que a candidatura de Lula fosse deferida, o que não aconteceu. O ex-presidente está preso na Polícia Federal em Curitiba.

O vídeo cortado chegou ao WhatsApp do Comprova e de veículos parceiros, mas também foi compartilhado em sites como “Renova Mídia” e “Diário do Brasil”. No Facebook, a página do PSL Rio de Janeiro, partido do candidato Jair Bolsonaro, o vídeo teve 1,2 milhões de visualizações, além de quase 50 mil compartilhamentos. Em um perfil no Twitter, foram mais de 75 mil visualizações desde a última segunda-feira (8).

O material enganoso foi verificado pelo jornal “O Povo”, além do UOL, do “Estadão” e do “Jornal Commercio”, todos integrantes do projeto Comprova.

O Comprova é um projeto integrado por 24 empresas brasileiras de mídia que investiga e explica rumores, conteúdo forjado e táticas de manipulação associadas às eleições presidenciais do Brasil. Envie sua pergunta ou denúncia de boato falso pelo WhatsApp 11 97795-0022.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber

Mais UOL Confere