Topo

UOL Confere

Uma iniciativa do UOL para checagem e esclarecimento de fatos

Cuba não tem apenas duas faculdades de medicina

Giovanni Bello/Folhapress
Imagem: Giovanni Bello/Folhapress

Lucas Teixeira Borges

Colaboração para o UOL

29/11/2018 04h00

Uma mensagem compartilhada via internet tem questionado o número (e a formação) dos médicos cubanos enviados ao Brasil pelo programa Mais Médicos.

Em meio à polêmica saída de Cuba do programa, anunciada no dia 14 de novembro, o texto indica que o número de profissionais formados no país anualmente e a quantidade enviada para o Brasil não batem.

Segundo a postagem, há apenas duas universidades com o curso de medicina em Cuba, a Universidade de Havana e a Elam (Escola Latino-Americana de Medicina). A primeira supostamente forma 200 profissionais por ano e a segunda, 100 – o que daria um máximo de 300 novos médicos por ano.

Para reunir 6.000 médicos, seria necessário juntar todos os médicos formados nos últimos 20 anos”, afirma a mensagem. “E que teriam de estar disponíveis para vir trabalhar no Brasil.

FALSO: Cuba não tem apenas duas universidades de medicina

Este é mais um boato envolvendo o Mais Médicos. Cuba não tem apenas duas universidades de medicina, mas 20, todas públicas e espalhadas pelo país.

Ao todo, o país caribenho tem mais de 40 instituições de ensino superior, 13 só na capital, Havana. Delas, 19 oferecem o curso de medicina, de acordo com o Ministério da Saúde cubano, além da Escola Latino-Americana de Medicina, citada na mensagem.

A Universidade de Havana, também citada, foi a primeira instituição a oferecer o curso, no século 18. 

Como no Brasil, o curso tem duração de seis anos em tempo integral e a residência pode variar de dois a quatro anos. 

Não há dados precisos do governo de quantos médicos são formados anualmente no país, mas estima-se que haja entre 30 mil e 50 mil estudantes de medicina atualmente. Só o Brasil, nos últimos cinco anos, recebeu cerca de 20 mil destes profissionais.

O governo cubano salientou ainda que já formou milhares de estudantes estrangeiros. “Em Cuba, formaram-se de maneira gratuita 35 mil profissionais da saúde de 138 países, como expressão de nossa vocação solidária e internacionalista”, divulgou o Ministério da Saúde, por meio de nota.

As instituições de saúde do país também refutam os questionamentos sobre a qualidade de seus formandos. “Nossos profissionais de saúde estão bem formados, têm dignidade, ética profissional e altruísmo, só duvida quem deseja o mal para seu povo”, declarou a Universidade de Ciências Médicas de Havana, em apoio à decisão do país de deixar o Mais Médicos.

O UOL Confere é uma iniciativa do UOL para combater e esclarecer as notícias falsas na internet. Se você desconfia de uma notícia ou mensagem que recebeu, envie para uolconfere@uol.com.br.

Facebook Messenger

Receba as principais notícias do dia. É de graça!

Newsletters

Para começar e terminar o dia bem informado.

Quero receber

Mais UOL Confere