Mais informação com menos tempo de leitura
Topo

MP de Goiás denuncia grupo que recebia propina para furar fila em hospital do SUS

Rafhael Borges

Do UOL Notícias, em Goiânia

30/11/2011 13h36

O Ministério Público (MP) de Goiás denunciou nesta terça-feira (29), à 8ª Vara Criminal de Goiânia, quatro pessoas envolvidas em um esquema para furar a fila de cirurgias de urgência e emergência no maior hospital da capital, o Hugo.

A servidora Cléria Pires da Silva, que era coordenadora do Setor de Autorização de Internação Hospitalar em 2008, é a principal suspeita da fraude. Os valores da propina variavam entre R$ 50 e R$ 200.

De acordo com a denúncia apresentada pelos promotores do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), Silva aproveitava-se do cargo para agilizar os procedimentos sem considerar a gravidade dos casos.

Os outros denunciados são Áudima Cristina de Bastos Celes, José Garcia Pires e Edvaldo dos Santos Rosa --Pires era vereador em Itapuranga (GO) e Bastos e Rosa eram assessores políticos.

O promotor Denis Bimbati afirmou que ainda não tem como provar que os favorecidos com lugar na fila eram eleitores do político, mas pediu o imediato afastamento de Silva. “O fato é que essas pessoas praticavam esse tipo de ação”, declarou.

Em nota, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) em Goiás declarou que ainda não foi oficialmente notificada pelo Ministério Público sobre o pedido de suspensão do cargo de Cléria Pires da Silva, servidora do Hugo. De acordo com a secretaria, as denúncias já estão sendo apuradas internamente, e assim que houver uma posição, a SES vai se pronunciar. “A servidora exerce cargo de comissão desde 1998 e atualmente trabalha na Central de Esterilização do Hospital”, completa a nota divulgada pela pasta.

Mais Cotidiano