PUBLICIDADE
Topo

Cotidiano

"Eu vou conseguir viver sem meu braço", diz ciclista atropelado em São Paulo

Do UOL, em São Paulo

14/03/2013 18h04

O jovem David Santos Sousa, 21, que teve o braço direito amputado após ser atingido por um carro enquanto pedalava na avenida Paulista, na manhã do domingo (10), afirmou em entrevista ao site da revista "Veja São Paulo", que sua recuperação tem sido difícil, mas que irá conseguir viver sem seu braço.

"Estou me esforçando para fazer as coisas só com o esquerdo, mas é complicado. Se eu fosse uma criança, seria bem mais fácil. Agora tenho de aprender tudo de novo", afirmou Sousa, que ia em direção ao trabalho pela ciclovia da avenida quando foi atingido pelo carro de Alex Siwec, 22, que havia ingerido bebida alcoólica.

Segundo testemunhas, antes de atropelar Sousa, o motorista dirigia em zigue-zague e havia derrubado alguns cones que delimitavam a ciclovia.

Siwec fugiu do local do acidente sem prestar socorro, levando preso ao veículo o braço arrancado de Sousa, segundo informações da Polícia Militar. Posteriormente, ele teria jogado o membro no córrego da rua Ricardo Jafet, na zona sul da cidade, o que impediu que o braço da vítima fosse reimplantado.

A Justiça de São Paulo decretou a prisão preventiva de Siwec. Uma decisão emitida na quarta-feira (13) fez com que o estudante continuasse preso.

Durante o decreto, o juíz Kleber Leyser de Aquino, do Dipo (Departamento de Inquéritos Policiais), disse que Siwec tem "personalidade fria, cruel e insensível."

"Não lembro de nada, só de acordar no hospital", afirmou Sousa, que está internado no Hospital das Clínicas, em São Paulo, desde então, e diz que a recuperação tem sido difícil já que sente muita dor. "Sinto que meu braço continua aqui."

O jovem, que trabalhava como limpador de vidros, agora pretende exercer outra profissão. "Quero continuar meus estudos e escolher uma nova profissão. Minha vida vai mudar completamente, mas uma coisa é certa: eu vou conseguir viver sem meu braço."

Profissionais de uma empresa especializada em próteses, de Sorocaba (SP), doaram um braço biônico para Sousa.

Cotidiano